domingo, 30 de novembro de 2014

Imprevisível - veja a análise de Luiz Vieira sobre a eleição para a presidência da Câmara de Parauapebas

ELEIÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA CÂMARA PODE ACABAR EM GOLPE DE NOVO

Blog do Luiz Vieira




Amanhã, primeiro de dezembro acontecerá às 9 horas na Câmara Municipal a Eleição da Mesa Diretora para o biênio 2015/2016. Até agora, só resta aos analistas políticos às dúvidas e incertezas diante do quadro que se apresenta.

Diante desse quadro de incerteza, uma análise do passado pode ser bem útil para dar uma luz do que poderá acontecer. Em janeiro de 2013 se desenhou duas chapas. O Prefeito recém- eleito Valmir Mariano tinha minoria na Câmara. Bastou botar a turma da pasta preta em campo que o jogo virou a seu favor. Vereadores eleitos na chapa de oposição e que tinham um discurso violento contra o Valmir, rapidinho trocaram de máscara e foram beijar suas mãos e jurar fidelidade. Do lado da oposição, o vereador Euzébio foi o fiel (infiel) da balança. A oposição tinha chance com folga de fazer a Mesa Diretora, mas na hora da discussão o Euzébio se impôs como Presidente. Como foi preterido pelo grupo, pois já havia sido presidente por dois mandatos e não gozava da confiança da maioria, o vereador eleito para o seu terceiro mandato agiu como o menino riquinho e mimado dono da bola: pegou a bola e saiu de campo no meio do jogo. Saiu se fazendo de magoado e disse textualmente: “já que não me querem como Presidente estou fora do grupo. Estou indo para a Bahia e só volto para a posse”.

Essa decisão imatura e egoísta do Euzébio quebrou as pernas do grupo de oposição. Vereadores dos partidos aliados ficaram sem confiança na maior bancada eleita que era o PT e trataram de arrumar outra alternativa.

Por outro lado o Prefeito Valmir indicou o Vereador Pavão para Presidente e festejou a vitória com antecedência. Com sua articulação, a eleição estaria garantida por oito a sete. Valmir só não contava com uma velha raposa que ele ainda não tinha cooptado e que julgava inútil e descartável. Valmir cometeu um erro grave que lhe traria muita dor de cabeça.

O golpe na primeira eleição

O grupo de oposição que estava totalmente desarticulado e destroçado com a traição do vereador Euzébio, enxergou uma luz no fim do túnel. Apostou na ambição do vereador Josineto. Às vésperas da eleição da Mesa diretora, deram o golpe de misericórdia no Prefeito Valmir: cooptaram o vereador que se elegeu na base do Prefeito e ofereceu-lhe o cargo de Presidente. Josineto aceitou de imediato e jurou fidelidade ao grupo. Assim se deu a eleição da atual mesa naquela fatídica sessão de 1º de janeiro de 2013. Releia aqui.

O novo golpe

Dessa vez poderá haver um novo golpe na Eleição da Mesa Diretora. Por enquanto, só dois candidatos se credenciaram: Euzébio (PT) e Brás (SDD). Dessa vez o Prefeito Valmir poderá ser o grande estrategista que dará o golpe e se vingará do primeiro golpe.

Como está se desenhando esse golpe?

O G-5 fortalecido com a CPI da saúde em curso ameaçou lançar candidato à Presidência. O Valmir vendo-se ameaçado deu uma cartada de mestre: mandou sua mulher articular o nome do Euzébio e articulou a candidatura do vereador Brás. O próprio Prefeito manifestou apoio ao Euzébio para jogar ainda mais fumaça na disputa. Com isso, o Prefeito Valmir atraiu os votos dos vereadores petistas que ainda acreditam que o Euzébio é do PT (acreditam também em Papai Noel e na Fada do Dente) e quebrou as pernas do G-5. Para Valmir, tanto faz Euzébio ou Brás. Os dois o obedecem cegamente. Assim, o golpe está desenhado e pronto para ser executado. Mais uma vez uma velha raposa pode entrar em campo e puxar a disputa para o lado do Brás.

O Contragolpe

Essa disputa está totalmente aberta e imprevisível. Se por um lado o Prefeito Valmir já dá a vitória como favas contadas, por outro lado o G-5 poderá agir com inteligência e discernimento e aprontar uma para cima da turma do Valmir. Eliene Soares e Arenes (PT) poderão se lembrar do golpe que o Euzébio deu no PT que custou até mesmo o cargo de Presidente da Comissão de Constituição e Justiça que havia sido negociado para a Eliene. Bruno Soares (PP), Pavão e Charles (SDD) também têm contas a acertar com o Valmir.

Com esse cenário, fortes emoções aguardam os frequentadores da sessão nessa segunda às nove horas. Vamos lá conferir e ver no que vai dar.

Alerta ao ITERPA - PF prende quadrilha que vendia terras para empresários, fazendeiros e políticos

Essa semana o Sol do Carajás denunciou um edital de venda de terras pelo ITERPA, beneficiando político e empresários de Parauapebas com 7000 hectares, que deveriam ser destinados à reforma agrária, sendo que desses, cerca de 2000 seriam comprados por um vereador.

_____________________________________________________________
PF desarticula quadrilha que vendia terras da reforma agrária

:
Fonte: www.brasil247.com.br
Cuiabá/MT – A Polícia Federal deflagrou hoje, 27, a Operação Terra Prometida que tem como objetivo desarticular organização criminosa responsável por fraudes na concessão de lotes destinados à reforma agrária. Estima-se que mil lotes da União estejam em situação ilegal. O prejuízo aos cofres públicos pode alcançar R$ 1 bilhão.
Aproximadamente 350 policiais federais estão dando cumprimento a 227 mandados judiciais: 52 de prisão preventiva, 146 de busca e apreensão, além de 29 medidas proibitivas. Os mandados estão sendo cumpridos no Mato Grosso (nas cidades de Cuiabá, Várzea Grande, Nova Mutum, Diamantino, Lucas do Rio Verde, Itanhangá, Ipiranga do Norte, Sorriso, Tapurah e Campo Verde), Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Dentre os alvos há oito servidores públicos. Estima-se que 80 fazendeiros estejam envolvidos no esquema.
A investigação apurou que o grupo criminoso, formado por fazendeiros, empresários e grupos do agronegócio, procurava obter uma verdadeira "reconcentração fundiária" de terras da União que haviam sido destinadas à reforma agrária. Com ações ardilosas, uso da força física e até de armas, compravam a baixo preço ou invadiam essas áreas.
Para a manutenção do comércio ilegal e reconcentração de terras da reforma agrária, no decorrer dos últimos dez anos, a organização criminosa fez uso de documentos falsos, ações de vistoria simuladas, termos de desistência fraudados e dados inverídicos incluídos no Sistema de Informações de Projetos de Reforma Agrária (SIPRA/INCRA), propiciando que grandes latifundiários, grupos de agronegócio e até empresas multinacionais ocupassem ilicitamente terras da União destinadas à reforma agrária.
A PF verificou também que o esquema contava com o auxílio de servidores corrompidos do INCRA, integrantes de entidades de classe, bem como servidores de Câmaras de Vereadores e de Prefeituras Municipais.
Os investigados responderão, na medida de suas responsabilidades, por crimes de invasão de terras da União, contra o meio ambiente, falsidade documental, estelionato e corrupção ativa e passiva. As penas podem chegar a até 12 anos de reclusão.
O nome da Operação "Terra Prometida" remete à promessa de terras feita por Deus ao povo escolhido.
____________________________________________________
ITERPA quer vender 7000 hectares de terras para político e empresários de Parauapebas, mesmo depois de operação da PF - apenas um vereador e sua família comprariam cerca de 2000 hectares


ITERPA
Já oficiamos o ITERPA requerendo a cópia do processo referente aos itens 5 e 16 do edital, vamos entrar com uma ação popular e uma representação no MPE, caso o ITERPA resolva prosseguir com a venda das terras que deveriam ser destinadas a reforma agrária.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Vereadores pedem afastamento do prefeito de Parauapebas por obstruir investigações da CPI

VEREADORES PEDEM AFASTAMENTO DO PREFEITO DE PARAUAPEBAS

PREFEITO NÃO COLABORA, PELO CONTRÁRIO, OBSTRUI TRABALHOS DA CPI

AFASTAMENTO DO PREFEITO E MANDADO DE BUSCA E APREENSÃO SÃO MEDIDAS NECESSÁRIAS

A CPI DA SAÚDE entra na justiça pedindo um mandado de busca e apreensão contra o governo VALMIR DA INTEGRAL, a medida solicitada é a correta, haja vista que a própria POLÍCIA FEDERAL também teve que  requerer um mandado de busca apreensão pra poder ter acesso a documentos sobre a fraude no transporte escolar no município, no atual governo VALMIR DA INTEGRAL.

Por certo, virou prática do atual governo dificultar o trabalho de quem lhe investiga.

MEDIDA NECESSÁRIA 

A medida de busca e apreensão de documentos, com pedido de afastamento do prefeito de Parauapebas, visa a obtenção de documentos necessários ao esclarecimento dos fatos relacionados a compra de contraceptivos no valor de R$ 7 MILHÕES. 

A suspeita é que documentos foram e podem estar sendo destruídos.

Valmir da Integral, afastamento inevitável,
caso a lei seja cumprida em Parauapebas


R$ 7 milhões em contraceptivos

VALMIR DA INTEGRAL não quer que fique esclarecido a compra de R$ 7 MILHÕES em contraceptivos, decisão do governo municipal de atrapalhar a CPI ficou evidente para os membros da comissão da Câmara.

Fidelidade canina: saindo o pior, entrando o ruim ou o péssimo

JOSINETO, EUZÉBIO e BRAZ: O PIOR, O RUIM E O PÉSSIMO - AGUENTA PARAUAPEBAS!

A eleição da Câmara de Parauapebas está no modelo do governo Valmir da Integral, podendo ser eleito o ruim ou o péssimo, mas a vantagem é que sairá o pior de todos. 

Tranquilidade máxima, assim está o prefeito de Parauapebas quando o assunto é a eleição do próximo presidente da Câmara, dessa vez o roteiro foi escrito direitinho, segundo anuncia o meio político da cidade, a escolha está entre 6 ou meia dúzia, Euzébio ou Braz, ou seja, ou um ou o outro, tanto faz!

A bem da verdade, com o prefeito que temos, não poderia ser diferente!


DMTT - sem comando, sem educação!

Estaciona na frente de uma garagem e na esquina - esse é o DMTT de Valmir da Integral


Quase todo dia o DMTT apronta uma, ele só não consegue fazer aquilo que a população espera e gostaria dos seus agentes, tornar o trânsito de Parauapebas mais educado, mais civilizado.

O DMTT todo dia oferece um exemplo desse, o cidadão de Parauapebas que se vire, lamentável, pois não se trata de uma prática isolada, excepcional, parece ser a regra, tudo pode!

Essa viatura, por ironia, dias antes, estava participando de uma operação que recolhia carros estacionados em locais indevidos, por ironia.

Por certo, o agente não viu que se tratava de uma garagem, cujo proprietário gostaria que ao menos o DMTT respeitasse seu direito de adentrar ou sair do seu imóvel, ao menos o DMTT deveria respeitar e mostrar que respeita, que nem faria a mulher de César, isto é, não apenas ser, mas aparentar ser.

Mas essa é a pedagogia do DMTT, o exemplo é o que fica!

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Desembargador nega pedido de Valmir da Integral, prefeito perde mais uma na justiça

A CPI DA SAÚDE ganha mais uma batalha contra o governo VALMIR DA INTEGRAL.

Desembargador nega pedido do prefeito de Parauapebas que tenta a todo custo barrar as investigações!


Prefeito de Parauapebas, menos de 2 anos e já é um campeão de processos por atos ilegais e danosos ao patrimônio público 

Medo da CPI chegar aos culpados

Prefeito de Parauapebas tenta desesperadamente atrapalhar os trabalhos da CPI DA SAÚDE, onde os vereadores buscam esclarecer uma suspeita compra de "CONTRACEPTIVOS", mais de R$ 7 milhões estão envolvidos, o Sr. VALMIR DA INTEGRAL diz que nada tem a esconder, no entanto não explica qual o motivo de tentar barrar a CPI.


Veja a decisão do Desembargador:




Parauapebas: DARCI LERMEN (PT) é processado por improbidade administrativa

Ex-prefeito DARCI LERMEN é processado por improbidade administrativa: R$ 4.8 MILHÕES

Leia aqui no TJPA

Na transparência típica dos órgãos públicos paraenses, o TJPA não esclarece muito, o fato é que o ex-prefeito de Parauapebas responde uma ação de improbidade que pode lhe custar R$ 4.8 milhões, que diga-se de passagem, para um ex-professor é muito dinheiro.

Darci: ex-prefeito pode ter que
devolver R$ 4.8 MILHÕES

Todos ricos e soltos

Mas na cidade que professores assumem mandatos de vereadores e ficam milionários, que ex-operário da VALE vira fazendeiro cheio dos bois, DARCI não terá dificuldade de pagar o montante cobrado, isso se o rapaz vier a ser condenado.

Médicos protestam em Parauapebas


Os médicos denunciam que, atualmente, trabalham sem vários medicamentos de grande necessidade, citando alguns deles: Amiodarona, Adenosina, Fenitoina (Injetável), Fenobarbital (Injetável), Insulina Regular, Paracetamol, Dramin, Ceftriaxdona, Penicilina Benzatina, Succinilcolina, Buscopan Simples, Ondasetrona, Tramadol, Morfina, entre outros.

A categoria pede melhores condições de trabalho e ajuste no teto salarial

Francesco Costa - Insatisfeitos com as condições de trabalho, médicos da rede pública de saúde de Parauapebas vem tentando, segundo eles, há dois meses conversar com o prefeito Valmir Mariano para buscar solução para o problema.

Na tarde desta terça-feira, 25, conforme marcado entre o chefe do executivo e os médicos, haveria uma reunião para discutir as reivindicações e como o prefeito não compareceu ficou impossível chegar a um acordo; motivo que levou os médicos do corpo clínico, através de documento, expor as reivindicações.

As questões técnicas aparecem primeiro na lista de reivindicações tendo, como primeiro ponto citado no documento, a regularização e normalização do estoque de fármacos que compõe o quadro farmacológico do Hospital, em virtude do grande prejuízo acarretado pela carência de tais medicações, o que expõe os pacientes, constantemente, ao risco de morte nas dependências hospitalares.

Os médicos denunciam que, atualmente, trabalham sem vários medicamentos de gran de necessidade, e cita alguns deles: Amiodarona, Adenosina, Fenitoina (Injetável), Fenobarbital (Injetável), Insulina Regular, Paracetamol, Dramin, Ceftriaxdona, Penicilina Benzatina, Succinilcolina, Buscopan Simples, Ondasetrona, Tramadol, Morfina, entre outros.

Outra exigência dos médicos é o reestabelecimento dos convênios de saúde com as instituições responsáveis por exames e procedimentos cruciais ao bom funcionamento do Hospital, como Tomografias Computadorizadas e Endoscopias Digestivas, os quais são, qualificadas por eles como, de uma importância no diagnóstico e manejo de pacientes críticos.

Foi pedido também a normalização no funcionamento do Laboratório de Análises Bioquímicas do Hospital, o qual não está realizando, de forma rápida e eficaz, exames de urgência e emergência, dificultando e obstruindo a boa prática médica no diagnóstico e manejo dos pacientes atendidos.

As questões trabalhistas também fazem parte das reivindicações dos médicos; que diz ser sabido por todos os médicos do corpo clínico a atual situação da Secretaria Municipal de Saúde e a dificuldade na regularização dos pagamentos salariais, em virtude da Lei do Plantão, que estabelece o teto de 240 horas mensais por médico, para o pagamento idôneo dos plantões trabalhados.

Mas, ainda segundo eles, em virtude da alta demanda de plantões existentes no Hospital, pagos não apenas ao setor de urgência e emergência, como, também, as visitas médicas e transferências hospitalares, tal número frequentemente é excedido por alguns profissionais por, muitas vezes, serem os únicos com disponibilidade para realizar transferências hospitalares intermunicipais e cobrirem eventuais ausências e faltas de última hora de colegas de plantão, pelos mais variados motivos.

Tal fato ainda é agravado pela situação de muitos não residirem em Parauapebas, o que restringe, ainda mais, a opção de profissionais disponíveis para tais ocorrências inesperadas. Além disse é sabido que só é permitido trabalhar no Hospital, profissionais devidamente contratados, com vínculo empregatício estabelecido com a secretaria de saúde e efetivados previamente ao quadro de funcionários do Hospital.

Motivos os quais, segundo informações prestadas pelos médicos, alguns profissionais tenham pendencias salariais que datam do mês de agosto, além de muitos terem recebido apenas metade dos vencimentos referentes a setembro, face ao imbróglio trabalhista e legislativo em que se encontra a secretaria de saúde com os médicos.

Propostas apresentadas- O grupo de médicos, após consultar juristas, advogados e contadores com experiência na área de saúde, propõe como alternativa, qualificada por eles como "salutar, rápida e eficaz", para a resolução do problema na regularização dos vencimentos dos profissionais e revisão do teto de carga horária mensal, a contratação de uma empresa prestadora de serviços de saúde via Pessoa Jurídica.

Outra opção, qualificada pelo grupo de médicos como "viável", seria a contratação de cooperativa de serviços médicos.

De acordo com a assessoria jurídica do grupo de médicos, para contratação da empresa de saúde ou de cooperativa, por se um serviço essencial, existe a possibilidade de celebrar um contrato emergencial por 3 meses, até que o processo licitatório seja redigido, encaminhado e aberto o edital público no diário oficial.

O grupo de médicos diz esperar o problema de forma amistosa, sem que haja prejuízos para nenhuma das partes, mito menos para os pacientes e usuários do Hospital.

Agora aguardam resposta do Poder executivo que não compareceu na reunião marcada e nem mandou representantes.

Fonte: Texto Francesco Costa Da Redação

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Obrigado, Parauapebas! 1 MILHÃO DE ACESSOS!


Hoje, ultrapassamos a marca de 1 MILHÃO DE ACESSOS, graças a você, leitor independente, que busca uma informação livre, sem ASCOM de qualquer governo.

Aqui publicamos o que acreditamos! 

Um BLOG amador, a mão única, do interior do Pará, da querida PARAUAPEBAS, modéstia de lado, uma leitura obrigatória para quem acompanha a política paraense!

Valeu!

Globo e PSDB, tudo a vê! O juiz da república do Paraná não vê!

Como o processo de sonegação da Globo sumiu da Receita e sobreviveu no submundo do crime

Autor: Joaquim de Carvalho - www.dcm.com.br

Os originais do processo
No dia 2 de julho do ano passado, um grupo de blogueiros, com o Centro de Estudos de Mídia Alternativa Barão de Itararé e o Mega Cidadania à frente, foi ao Ministério Público Federal no Rio de Janeiro e entregou uma representação com 25 páginas do processo da Receita Federal em que os donos da TV Globo são responsabilizados pela prática de crime contra a ordem tributária.

O procurador recebeu os documentos e encaminhou para a Polícia Federal, que abriu inquérito. “Tinha grande esperança de que o crime fosse, finalmente, apurado, em razão da independência do Ministério Público”, diz Alexandre César Costa Teixeira, autor do blog Mega Cidadania.

No último 7 de outubro, dois dias depois do primeiro turno das eleições, o inquérito foi arquivado, por decisão do delegado Luiz Menezes, da Delegacia Fazendária da Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro. A decisão teve endosso do Ministério Público e foi acatada pela 8ª Vara Federal Criminal do Estado.

“A frustração é muito grande. Eu me empenhei muito para que esse caso não ficasse impune”, disse Alexandre, ao saber que a representação dele e de seus amigos acabou no arquivo da Justiça Federal.

“Eles não chamaram nenhum de nós para depor, mesmo sabendo que fomos nós que conseguimos as páginas do processo que havia desaparecido da Receita. É um absurdo”, afirma. “O sentimento é de indignação”, diz ele, que já foi funcionário do Banco do Brasil e do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro.

Alexandre faz parte de uma rede que atou na internet, em junho do ano passado, para fortalecer as manifestações de rua. Foi ele quem entregou a Miguel do Rosário, do site O Cafezinho, os documentos que incriminavam a Globo, o que provocou, em julho de 2013, uma manifestação em frente à porta da Globo, na rua Von Martius, Jardim Botânico, em que foram distribuídos adesivos com a frase “Sonegação é a maior corrupção”.

O processo desapareceu da Receita Federal no dia 2 de janeiro de 2007, quando já estava separado para que uma cópia fosse encaminhada ao Ministério Público Federal, com uma representação para fins penais, em que Roberto Irineu Marinho, João Roberto Marinho e José Roberto Marinho são apontados como responsáveis por crimes contra a ordem tributária.

Uma investigação da Receita Federal apontou a agente administrativa Cristina Maris Meinick Ribeiro como responsável pelo sumiço. A prova mais forte contra ela é um vídeo que registra a entrada e a saída da Delegacia da Receita Federal.

Na entrada, Cristina Maris aparece com uma bolsa. Na saída, além da bolsa, ela tem uma sacola, onde, segundo testemunhas, estavam as três pastas do processo.

Seis meses depois do crime, a agente administrativa acabou presa, a pedido do Ministério Público Federal, mas ficou apenas dois meses e meio atrás das grades.

Sua defesa, formada por cinco advogados, conseguiu no Supremo Tribunal Federal um habeas corpus, numa decisão em que o relator foi o ministro Gilmar Mendes.

Em janeiro de 2013, Cristina Maris foi condenada a 4 anos e onze meses de prisão. O juiz que assina a sentença escreveu que Cristina agiu “com o evidente propósito de obstar o desdobramento da ação fiscal que nele se desenvolvia, cujo montante ultrapassava 600 milhões de reais.”

No mesmo processo em que foi condenada por ajudar a Globo, Cristina Maris respondeu à acusação de interferir no sistema de informática da Receita Federal para dificultar a cobrança de impostos de outras três empresas.

Cristina Maris vive hoje num apartamento da avenida Atlântica, esquina com a rua Hilário Correia, em Copacabana, mas não dá entrevista. Informado de que eu gostaria de conversar com ela, o porteiro acionou o interfone e, depois de falar com alguém, disse que ela não estava.

O processo da Receita Federal permaneceu desaparecido até que Alexandre conseguiu com um amigo cópia de 25 páginas do processo e as entregou para Miguel do Rosário, que publicou em O Cafezinho.

Eu fui apresentado ao amigo de Alexandre em um apartamento no centro da cidade. Sob condição de não ter seu nome revelado, ele me levou, no dia seguinte, a uma casa no subúrbio carioca, e ali telefonou para outra pessoa, a quem pediu para trazer “a bomba”.

Não eram apenas 25 páginas, mas o processo inteiro, original.

Meia hora depois, chegaram dois homens, um deles com uma mochila preta nas cotas.

Abrigaram a mochila e tiraram de dentro os dois volumes, mais o apenso do processo.


Os documentos são originais, inclusive os ofícios da TV Globo, em papel timbrado, em que a empresa, questionada, entrega os documentos exigidos pela Receita Federal.

Alguns desses documentos são os contratos em que a Globo, segundo o auditor fiscal Alberto Sodré Zile, simula operações de crédito e débito com empresas abertas no Uruguai, Ilha da Madeira, Antilhas Holandesas, Holanda e Ilhas Virgens Britânica, a maior parte delas paraísos fiscais.

Esses contratos, que o auditor Zile classifica como fraude, têm a assinatura de Roberto Irineu Marinho e de João Roberto Marinho. TV Globo, Power, Porto Esperança, Globinter, Globo Overseas são algumas das empresas que fazem negócios entre si para, ao final, adquirir uma empresa nas Ilhas Virgens Britânicas, a Empire, que tinha como sede uma caixa postal compartilhada com Ernst & Young Trust Corporation e detinha os direitos de transmissão da Copa do Mundo de 2014.

Analisada superficialmente, a papelada indica que a Globo tem uma intensa atividade internacional, e está em busca de novos espaços no exterior. Vistos com lupa, como fez o auditor da Receita Federal, esses documentos mostram que tudo não passou de simulação.

As empresas são todas controladas pela família Marinho e os contratos são de mentirinha. No fundo, o que a Globo busca é se livrar do imposto de renda que deveria ser pago na fonte, ao comprar os direitos de transmissão da Copa do Mundo.

O amigo de Alexandre esclarece que os dois homens que guardam a bomba não pertencem à quadrilha que faz desaparecer processos das repartições públicas do Rio de Janeiro, a qual a ex-funcionária da Receita Federal Cristina Maris prestou serviço.

Os processos estiveram em poder da quadrilha até que o amigo de Alexandre conseguiu resgatá-lo da única maneira que se negocia com bandidos: pagando o preço do resgate. Ele não diz o valor.

Alexandre recebeu os originais e quis entregá-los à Polícia Federal num fim de semana. Mas, ao saber que se tratava do inquérito da Globo, o delegado de plantão teria se recusado a ficar com os documentos.

Alexandre decidiu então esperar ser chamado para depor, oportunidade em que entregaria uma cópia do processo ou mesmo o original, caso o delegado quisesse. Mas a intimação que ele esperava receber nunca chegou.

“Dizem que o processo da Receita Federal foi remontado, com cópias fornecidas pela Globo. Seria interessante comparar o original com esse processo remontado, se é que foi remontado”, afirma.

Na sexta-feira da semana passada, eu procurei o delegado encarregado do inquérito, Luiz Menezes.

Quando perguntei do inquérito, ele disse: “Esse inquérito já foi relatado e foi para a justiça federal.” Quando perguntei sobre a conclusão dele, respondeu: “Arquivo”. Por quê? “A Globo apresentou o DARF de recolhimento do imposto.” O senhor se lembra de quanto era o DARF? “Não”.

Na 8ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, a informação que obtive é que, no dia 7 de outubro, o processo deixou existir, tomando o caminho do arquivo, como sugerido pelo delegado, com a anuência do Ministério Público Federal.

Sobre a hipótese de ter havido crime de lavagem de dinheiro, cuja punibilidade não é extinta mesmo com o pagamento de imposto atrasado, o delegado Luiz Menezes não quis falar.

Por que um processo que desapareceu dos escaninhos da Receita Federal em janeiro de 2007, beneficiando a TV Globo, sobreviveu no submundo do crime?

Segundo o amigo de Alexandre, a situação saiu do controle da Globo quando o processo caiu nas mãos de um homem que tentou extorquir dinheiro da empresa.

“A Globo pagou para fazer desaparecer o processo da Receita e teria que pagar de novo”, diz.

Aqui entra uma versão em que é difícil separar a lenda da verdade.

Com a ajuda de um aparato policial amigo, a Globo teria tentado retomar os documentos à força, mas a operação falhou, e o processo continuou no submundo até que foi trazido à luz pela militância na internet.

Hoje, mesmo contendo informações de teor explosivo, as autoridades querem distância do processo.

“A Globo é blindada. Nós tentamos chamar a atenção para o problema, mas ninguém se dispõe a ouvir”, diz Alexandre.

Na época da Copa, Alexandre procurou as empresas de outdoor do Rio de Janeiro, para divulgar um anúncio em que informa da existência do processo e pede a apuração.

A campanha era assinada pelos blogueiros, mas nenhuma empresa de outdoor aceitou abrigar a mensagem.

Enquanto órgãos oficiais não investigam o caso, o processo da Receita Federal que envolve a Globo continuará sendo transportado em mochilas no subúrbio do Rio de Janeiro.

Alexandre “Terremoto”


(Acompanhe as publicações do DCM no Facebook. Curta aqui).
Sobre o Autor
Jornalista, com passagem pela Veja, Jornal Nacional, entre outros. joaquim.gil@ig.com.br

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Votei em 2002, 2006, 2010, 2014 e votarei em 2018 e 2022 - que fazer?

Jornalista da GLOBO ataca eleitores que preferem DILMA ao PSDB. O jornalista acha que o eleitor preferiu à corrupção, é uma meia verdade, o eleitor prefere encarar a corrupção do PT, pois a do PSDB e da GLOBO, essa não tem combate!

Alexandre Garcia, um assecla do PSDB e da Globo: ele não entendeu nada - vai perder de novo em 2018 e 2022

A Globo, nada a vê

A Globo, aliada e mãe de todas as corrupções brasileiras, vendeu Fernando Collor como o caçador de marajás, o cara virou um herói nacional e, depois, presidente. 

Collor naufragou na corrupção e foi enxotado do planalto, mas a Globo continuou a transmitir seus programinhas e noticiários, manipulados, como se não fosse cúmplice da corrupção.

Privataria Tucana

O maior caso de corrupção da história do Brasil e um dos maiores do mundo, a PRIVATARIA TUCANA, o Brasil não esquece, mesmo que a TV GLOBO nada noticie, pior, participou da "bandalheira", comprando a preço de banana algumas "empresinhas" liquidadas por FHC.

A lava jato, a Globo e o PSDB

Várias empresas investigadas na “Operação Lava a Jato” são anunciantes da Rede Globo e doadoras do PSDB, aliás, o PSDB é quem mais recebe grana delas, mas quem a Globo ataca, com seu "jornalismo de araque", é a DILMA e o LULA, pode? 

Quem é cúmplice da GLOBO?

E você é cúmplice da GLOBO? Vota no PSDB? Aquele partido que rouba e o juiz não vê, ninguém delata, nem os delegados da república do Paraná veem nada? Será que juiz, delegados, doleiros e delatores são do PSDB? 

Aliás, o juiz direciona os depoimentos e ainda concede delação, pela segunda vez, a um doleiro do PSDB, que rouba rouba e o juiz não vê.

Um aeroporto, uma ossada, um helicóptero, um primo, uma cachaçaria e o juiz não vê, nem a Globo, quem é cúmplice de quem?

2002, 2006, 2010, 2014, 2018 e 2022

Não fui cúmplice, fui autor mesmo, autor confesso: votei em 2002, 2006, 2010 e 2014, meu crime é grave, sou reincidente, pretendo cometer o mesmo crime em 2018 e 2022, votando em LULA, que fazer?

Marabá: João Salame na mira do TCM

O TCM mira as contas de João Salame, prefeito de Marabá, já em Parauapebas pode tudo


O governo VALMIR DA INTEGRAL gasta mais de R$ 500 milhões sem licitação, empresas amigas são escolhidas, quando tem alguma licitação, financiadores de campanha "ganham" o certame, mas o TCM-PA está de olho é no prefeito de Marabá, JOÃO SALAME, veja abaixo o edital de notificação:


Parece perseguição, o JOÃO SALAME sofre uma blitz do TCM e do MPPA, tudo em Marabá vira uma ação, auditoria ou investigação, mas na rica capital do minério o mesmo TCM e o mesmo MPPA tem posturas totalmente diferentes, a bilionária PARAUAPEBAS é poderosa.

Auditoria no SALAME, conversinha com VALMIR DA INTEGRAL

Um conselheiro  de alta plumagem do tribunal de contas foi avistado em Brasília, em graciosa "conversinha" sobre o "lixo" de Parauapebas, isso mesmo, tem conselheiro do TCM muito interessado na contratação de uma empresa para a limpeza pública do rico município paraense, que coisa!

Cuidado, nobre conselheiro, a PF está de olho no governo de Parauapebas! 

Parauapebas: como o governo VALMIR DA INTEGRAL usa o dinheiro público

Mais uma para a CPI: "caminhonete locada para a secretaria da saúde é usada para cuidar de CAVALOS"

São milhões para comprar contraceptivos, sem a menor necessidade, cerca de R$ 7 milhões jogados fora, mas se você acha pouco, saiba que o governo VALMIR DA INTEGRAL usa o dinheiro do povo de Parauapebas para cuidar dos cavalos da empresa de um amigo.

Será que o nome do dono da empresa do cavalo é de interesse do Ministério Público, a caminhonete e a placa, seria?

De quem será o cavalo que é cuidado com caminhonete alugada pela prefeitura? 

Esse é o atual governo de Parauapebas!

A saúde um caos, criminosamente conduzida, mas o cavalo do amigo tem atendimento VIP!

Bomba: fraude em vestibular de medicina, investigações podem atingir filho de prefeito de cidade paraense (5 estados na mira da Polícia)

Um prefeito, de uma rica cidade paraense, quando escuta notícia de fraude em vestibular de medicina pede pra tomar um "remedinho", pra acalmar os nervos!


Em Minas, 33 presos por fraude em vestibular de Medicina


Sugestão de BRAGA-BH
do jornal O Tempo
HEMOSTASE II

Há, também, a suspeita de que o Enem tenha sido fraudado em cinco Estados pela quadrilha; preço de vagas variava de R$ 70 mil a R$ 200 mil; Faculdade Ciências Médicas ainda não se pronunciou

O MPPA já esta na "caça dos fantasmas" da Câmara

MPPA já tomou as providências?

Mas o que o Ministério Público tem com isso que ainda não desmantelou a máfia dos fantasmas na Câmara e na prefeitura? Será que o MPPA não fará nada ou será que já fez e logo explodirá a casa da "malinagem geral" e o morro dos ventos.

Eu não vi

Tem gente que viu, jura de pé junto que não era "fantasma", era real, um vídeo com as imagens de uma irmã de um vereador com vários cartões bancários de "fantasmas"!

Você viu? E o Ministério Público será que viu? Eu não vi.

Complicado na justiça eleitoral e mal agradecido

A ingratidão de GESMAR: o rapaz ainda espalha que VALMIR DA INTEGRAL o abandonou e não quer pagar as contas de campanha. Cada voto do rapaz é fruto do abuso da máquina pública, praticados pelo governo de Parauapebas.  O moço ainda é mal agradecido!

O candidato que o governo VALMIR DA INTEGRAL apostou tudo, no qual investiu uma soma inestimável, mas não teve êxito, sendo derrotado, anda complicado na justiça eleitoral.


Parece, antes de tudo, o candidato derrotado, GESMAR ROSA, terá que explicar melhor sua prestação de contas, o Ministério Público Eleitoral NÃO acreditou no que viu.

MANSÃO

O Ministério Público em Parauapebas ainda não pediu explicações ao GESMAR ROSA sobre um suposta aquisição de uma mansão em Parauapebas, com certeza, a demora do MP se deve ao acúmulo de serviço.

PROCESSOS

O candidato responde a 2 (dois) processos na justiça eleitoral, o que é muito pouco, outros já deveriam ter se seguidos, de qualquer modo o rapaz começou sua vida eleitoral de forma mais que "agitada":



O candidato do prefeito VALMIR DA INTEGRAL, o Gesmar Rosa, pode assumir uma vaga na assembléia legislativa, isso se o governador JATENE resolver entregar alguma secretaria para um dos deputados eleitos pela coligação do PSD, Gesmar é o primeiro suplente, isso se o rapaz for diplomado.

Suplente é uma espécie de deputado manco, de pernas tortas, não serve para nada!

domingo, 23 de novembro de 2014

Veja - quem financia a revista marginal?

O mapa da conspiração no Brasil segundo o padrão da CIA, por J. Carlos de Assis


(...)
Estou transcrevendo trechos dessa longa reportagem porque sei que os brasileiros não merecem de nossa imprensa, escrita ou televisiva, um noticiário imparcial sobre o que está acontecendo na Ucrânia. Nossa grande imprensa é em relação aos Estados Unidos mais governista, em qualquer circunstância, do que a própria imprensa da elite americana. Mas o que quero acentuar é que o governo americano tem uma estratégia clara de sustentação de sua dominação no mundo e está disposto a pagar qualquer preço, sobretudo se o preço foram instituições ou vidas de outros povos, para firmar seus objetivos estratégicos.

É nesse ponto que convém examinar a situação brasileira atual. Os Estados Unidos restabeleceram a Guerra Fria e elegeram a Rússia como inimigo estratégico, já que a Rússia, ainda uma potência nuclear de primeira linha, é o único poder estratégico, junto com a China na economia, capaz de rivalizar com eles. Ora, nós estamos cometendo a audácia de nos aproximarmos da Rússia e da China no âmbito dos BRICS, criando uma alternativa de desenvolvimento no mundo, tanto do ponto de vista geoeconômico quanto geopolítico. Para quem quer levar o braço da OTAN até as planícies ucranianas, esse é um grande desafio, considerando o fato de que Brasil e África do Sul são considerados quintais relativamente bem comportados do poderio americano.

Se para eliminar o risco de uma maior aproximação com a Rússia for necessário desestabilizar o Governo brasileiro, apelando para uma inventada condescendência com a corrupção, como aconteceu na Ucrânia, os Estados Unidos não se farão de rogados. Eles tem aliados poderosos aqui dentro como leais quinta-colunas. Por algum motivo gravaram os telefones da Dilma. Já no Chile, de acordo com documentos desclassificados depois de 40 anos da deposição de Allende, verifica-se, segundo a mesma “Foreign Affairs”, que o golpe e o assassínio de Allende foram orquestrados por Washington, sob coordenação de Henry Kissinger. Começou com o assassinato do general anti-golpista Schneider, pago pela CIA, e teve durante todo o tempo da conspiração a instigação permanente do jornal “El Mercurio”, que para isso recebeu da CIA US$ 11 milhões em dinheiro de hoje. A “Veja”, como todos sabem, passa por dificuldades financeiras. Não seria o caso de se examinar quem está sustentando suas infâmias destinadas a desestabilizar o Governo brasileiro?

J. Carlos de Assis - Economista, doutor pela Coppe/UFRJ, professor de Economia Internacional da UEPB.

Uma revista sob medida para o PSDB, contra o BRASIL!

REVISTA VEJA: não compre, mas se comprar não leia! Caso leia, não acredite, mas se acreditar, relinche, és um cavalo!

Fonte: www.conversaafiada.com.br

Dilma desmoraliza Veja. De novo! 

Dilma já processou Veja por fraude eleitoral.

O Conversa Afiada reproduz nota da Presidência da República:

Queima de arquivo em favor de AÉCIO NEVES - prefeitura de Cláudio é incendiada, mas só aquela sala!

AecioClaudio03

Leio no noticiário de hoje que o governador de Minas Gerais, Alberto Coelho, decidiu, no apagar das luzes de sua gestão, transferir a administração do aeroporto de Claudio, no interior do estado, para a prefeitura.

Antes, estava sob controle do governo estadual.

Por que Coelho fez isso?

A imprensa brasileira, notoriamente tucana, não irá perguntar. Então as redes sociais terão obrigação de fazê-lo.

A razão seria a transferência de documentos, antes em poder do governo do estado, que em breve cairá em mãos do PT, para a prefeitura de Claudio, administrada por um partido (por enquanto) aliado a Aécio Neves, o PRTB?

Como se sabe, o aeroporto de Claudio tornou-se famoso nacionalmente após a revelação de que Aécio Neves, então governador, o construíra em terras de seu tio-avô, e que as chaves do mesmo ficavam em poder de sua família. O próprio Aécio tinha fazenda lá, a seis quilômetros do aeroporto.

Após algumas semanas de silêncio constrangido, Aécio confessa que usou ilegalmente o aeroporto “algumas poucas vezes” (metáfora engraçada para dizer que usou muito). Ilegalmente porque o aeroporto, mesmo após anos, ainda não foi homologado pela Anac. É proibido usá-lo.

O então candidato justificou a construção do aeroporto dizendo que Claudio era um importante centro industrial, o que é uma mentira deslavada.

E mesmo que fosse verdade, porque o governo não se empenhou então para legalizar o aeroporto?

A verdade é que a situação era confortável para Aécio, que usava o aeroporto como se fosse particular, apenas para passar finais de semana em sua fazenda na cidade.

Claudio, aliás, trouxe outras novidades para a campanha.

Logo após as denúncias, houve um estranho incêndio na prefeitura da cidade.

Ao final de 2013, a polícia de Minas estourou um centro de refino de cocaína na cidade.

E ainda temos algumas não totalmente explicadas conexões desagradáveis entre um primo de Aécio e traficantes de drogas.

A atriz Tassia Camargo encontrou – e o divulgou nas redes – um documento da polícia mineira, que descreve a descoberta de ossada humana no município de Claudio, em propriedade do senador.

Há também os depoimentos do policial civil Lucas Gomes Arcanjo, que faz acusações gravíssimas ao ex-governador Aécio Neves.

Só que esta “delação”, pelo jeito, não interessa à nossa imprensa.

Apenas durante a campanha, pressionada pelas redes sociais, a mídia se viu obrigada a fazer perguntas a Aécio Neves.

Finda as eleições, o assunto é enterrado.

Já com tudo relacionado ao PT, o fim da campanha apenas exacerbou a curiosidade da mídia.

Esse jogo de dois pesos e duas medidas já ficou descarado demais.

O próximo governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, do PT, já disse que não jogará nada para embaixo do tapete.

Muitas novidades, portanto, poderão vir das belas e frias montanhas de Minas.

Fonte: www.tijolaco.com.br