quinta-feira, 31 de julho de 2014

Parauapebas: Tentativa de vender o PT para Valmir é frustrada mais uma vez

Blog do Luiz Vieira

Por pouco eu não chego em Parauapebas e encontro uma realidade medonha e caótica. Mais uma vez o ex-petista e atual lacaio do Valmir tentou colocar o PT na vala comum da política e assim jogar uma pá de cal (ou seria um pá?) na sua história em Parauapebas. Dessa vez a negociação avançou bastante e por pouco não se concretiza.

Felizmente os bravos guerreiros petistas não se deixaram seduzir por promessas de cargos e secretarias e resistiram bravamente. Para felicidade de uns e desespero de outros o noivado foi mais uma vez rompido (ou adiado). Felicidade para os verdadeiros petistas que não se sucumbem a negociações espúrias e conchavos secretos; desespero para quem acha que não consegue mais viver na oposição depois de ter passado oito anos no poder ou se beneficiando de alguma forma dele.

A negociação entre outras coisas, estava condicionada ao apoio incondicional a candidatura do Gesmar e a desistência da candidatura da vereadora Eliene Soares a Deputada Estadual. Se concretizada essa seria a negociação mais desastrosa e danosa para Parauapebas e para o Partido dos Trabalhadores. Enterraria de vez sua pretensão de voltar ao governo de Parauapebas.

As vezes o poder cega

Sabe o que é um professor passar um mês inteiro ensinando a uma criança uma simples operação de adição como 2+2 e no final o aluno ainda dar a resposta errada? É tão óbvio que o professor não compreende como o seu aluno não possa aprender uma coisa tão simples assim. Estupidez mesmo! Acontece que esse aluno passou por um grande trauma e não consegue enxergar o óbvio.

É mais ou menos isso o que está acontecendo. As pessoas com algum senso e um mínimo de compreensão se perguntam como é que alguém ligado ao PT ainda cogite a mínima possibilidade de aliança com Valmir diante da atual conjuntura! E antes que me chamem de radical, coloco um ponto de vista que já abordei outras vezes: em política as alianças são possíveis e salutares num regime democrático. O PT não é melhor do que os que comandam atualmente a prefeitura e nem Valmir é pior ou melhor do que a turma do PT. Apenas possuem pontos de vistas diferentes e usam metodologias e ideologias diferenciadas para administrar. Assim, uma aliança política em prol do município seria perfeitamente compreensível. Porém, essa aliança teria que ser pautada na ética, na transparência e nos propósitos mais elevados.

E por que essa aliança da forma como vem sendo construída não pode dar certo? Simplesmente porque está alicerçada na traição, no tirar proveito, na infidelidade e no baixo espírito de civilização. Está claro e tão cristalino que não entendo como alguém ainda é incapaz de ver.

Uma aliança política teria que ser debatida amplarmente, teria que se colocar todos os termos na mesa. O PT precisaria estar convencido de que o projeto do Valmir é de fato o melhor para a sociedade e disposto a abraçar esse projeto com todas as forças. Teria que estar disposto a se comprometer com a reeleição do Valmir. Agora eu pergunto: é isso o que está acontecendo? Como o PT pode embarcar numa aventura dessa se nem o secretariado do Valmir, nem os vereadores de sua base confiam nele? Como é que alguém pode confiar num governo tão instável e construído a base de intrigas? Qual seria o papel do PT diante de tantas denúncias de corrupção e de nepotismo? 

Se alguém tiver uma ideia diferente por favor mande sugestão pela caixa de comentários.

http://www.blogdoluizvieira.blogspot.com.br

Parauapebas: política na esquina, notícias e boatos do dia

Velozes e audaciosos I

Nas últimas eleições a atuação exemplar do juiz eleitoral, Dr. Líbio Moura, impediu que o governo de plantão cometesse abusos, o atual governo municipal de Parauapebas não medirá esforços para tentar eleger algum deputado o que parece quase impossível, as notícias de prováveis abusos de poder político e econômico já estão na internet. 

Velozes e audaciosos II

A guerra na base do destrambelhado governo municipal não tem norte, mas não falta candidato, todo mundo acredita que o prefeito será cassado, que a sucessão está aberta, é um fazendo denúncia contra o outro. Um deles foi flagrado lambuzado de mel, com foto e tudo, ou seja, não tem chance de ganhar e se ganhar não tem chance de levar!

Após denúncia no MPE 

As fotos de um candidato lambuzado de mel serão publicadas neste blog, mas só depois que a denúncia for recebida pelo Ministério Público Eleitoral, em Belém. 

Nepotismo I

A nomeação da filha do prefeito pegou mal, muito mal, a juíza mandou exonerar, mas o prefeito arranjou um cargo "político" para a moça, burlando a decisão judicial, tentando enganar não apenas a Juíza da causa, mas toda uma cidade, pior, há quem compre ou vende a versão do prefeito, até o STF já autorizou o nepotismo, segundo um malino da blogosfera? 

Nepotismo II

A moça, Flávia Cristina Queiroz Mariano, agora é secretária de planejamento, o rapaz da VALE foi enxotado da secretaria, feito um descartável, para que a vaga fosse ocupada pela Flávia da Integral, a menina de ouro das licitações e contratos do município de Parauapebas/PA. 

Barbosa e Lewandowski

Contra o Nepotismo, até os ministros Joaquim Barbosa e Lewandowski estão juntinhos, falam a mesma língua, quem pensa que cargo político pode ser ocupado sem eira nem beira, na base do quem pode pode e obedeça quem tem juízo, engana-se.

O rapaz tão passivo, tão calmo

O Alessandro Queiroz Mariano, da família Integral, filho do prefeito, foi flagrado em plena reunião do pai, representando o município de Parauapebas,mais uns e outros secretários, com o presidente da mineradora VALE S/A, Murilo Ferreira. Detalhe, o rapaz é candidato a suplente do senador Helenílson Pontes, pode?

Presidente da VALE S/A recebe candidato ao senado

O Sr. Murilo Ferreira, presidente da VALE S/A, sabia que na comitiva do município de Parauapebas/PA tinha um candidato? Que dirá o Ministério Público Eleitoral sobre essa história? Será que enganaram o presidente da VALE e levaram um candidato para a reunião, ou é apenas mais uma franquia do prefeito para seus filhos e filhas?

Perguntar não ofende

A Integral, empresa da família do prefeito de Parauapebas, doou quase R$ 1 milhão para a campanha municipal, há quem diga que não foi bem assim, mas isso teria que ser dito e  provado, de qualquer modo não custa perguntar quanto a Integral pretende doar ao candidato Helenílson Pontes (PSD)? Quanto?

DNPM diz que sem Pazinato se fatura mais

O DNPM informou, mediante requerimento com base na Lei de Acesso as Informações, o que já sabíamos, Parauapebas foi e está sendo lesada por um contrato que só no Pará tem sobrevida, são R$ 180 milhões saqueados dos cofres do município?

TCM de Zeca Araújo e Aloísio Chaves

Os políticos/conselheiros  do TCM, liderados por Zeca Araújo e Aloísio Chaves, jogaram no lixo o parecer da Auditoria e do Ministério Público Especial de Contas que recomendavam a nulidade do contrato do Pazinato com o município de Parauapebas, mas o Pará quer saber: Zeca e Aloísio, meus caros, aliás, caríssimos, se em MG não precisaram do Pazinato, Parauapebas precisaria? Expliquem? 

CGU receberá pedido de investigação

Agora, diante do relatório do DNPM,  a Controladoria Geral da União receberá pedido para averiguar a conduta de um diretor do DNPM, quem sabe conseguiremos fazer que a Polícia Federal entre no caso PAZINATO. Quem sabe?

Aloísio Chaves autorizou Valmir da Integral a pagar R$ 41 milhões

Mas quando a ilegalidade é visível, todo cuidado é pouco. Mesmo diante dos conselheiros do TCM afirmarem, contra o parecer do MPE e da Auditoria do Tribunal, que o contrato era legal, mesmo assim, o prefeito de Parauapebas desconfiou, ainda pediu uma autorização "especial", extra da extra, ao gabinete do conselheiro Aloísio Chaves para pagar R$ 41 milhões a um advogado, tudo à conta da rica Parauapebas. 

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Parauapebas: mostra educação sofrível, apenas 2,88% dos eleitores tem nível superior

Após 26 anos, muitos bilhões "sumidos", a fragilidade da educação municipal mostra a cara de Parauapebas: apenas 2,88% dos eleitores tem nível superior


Parauapebas

A cidade paraense, a rica capital do minério, tem 135.415 eleitores, a maioria do sexo masculino, são 68.920 homens. As mulheres são minoria, com 66.487 eleitoras, 49,09%.

Educação é o ponto fraco

A riqueza de Parauapebas é invejável, mas a educação é o ponto fraco do município, são apenas 3.910 eleitores com nível superior completo, 2,88% do eleitorado, um dado lastimável, denotando a incapacidade dos seus gestores nesses 26 anos de emancipação política, comprovando que as estatísticas municipais, divulgadas pelo governo VALMIR, mascaram a realidade. 

Parauapebas e Canaã = 2,8%

O dado é ainda mais lastimável, Canaã dos Carajás tem 2,87% do eleitorado com nível superior, praticamente o mesmo índice de Parauapebas, indicando que esse sofrível percentual pode ser "agradecido" mais à influência da mineradora VALE S/A que a uma iniciativa do governo municipal.

Inflação estatística

O percentual de eleitores com nível superior no município de Parauapebas é uma vergonha, mostra que as estatísticas no município são infladas, que os "investimentos" não passam de manobras contábeis, sem qualquer correspondência com a realidade.

Considerando o que se diz investir em educação, o atual e os governos anteriores, uma conclusão salta aos olhos: corrupção e incompetência.

Superior concentrado em Belém e adjacências

Já Belém tem 6,11% e Ananindeua 7,77% do seu eleitorado com nível superior, evidenciando a concentração do ensino de 3° grau na região metropolitana e a necessidade da criação do ESTADO DO CARAJÁS, já!

terça-feira, 29 de julho de 2014

Parauapebas: "família Integral" quer controlar negócios da prefeitura

Dificuldades da Integral, empresa da família do prefeito de Parauapebas

O jornalista Hiroshi Bogéa denunciou que a empresa do prefeito de Parauapebas/PA, a Integral Engenharia, teria dado um supostos calote nos fornecedores da cidade vizinha e que, segundo o jornalista, é de estranhar que uma empresa com o histórico da Integral ainda consigo "contratos" junto à mineradora.


Matéria pode ser lida clicando AQUI

Coincidências: imoralidade pública

O jornalista diz que a empresa do prefeito de Parauapebas está em grandes dificuldades.

As dificuldades não impediram que a Integral doasse cerca de R$ 1 milhão para a campanha eleitoral do seu dono, Valmir da Integral, em 2012. 

Na época, todos diziam que o Sr. Alessandro e a Sra. Flávia é quem liberava e arrecadava o dinheiro que a integral doava para o pai candidato.

O fato é que a insistência do pai prefeito em querer a filha Flávia à frente dos negócios da prefeitura e a levar o filho para participar de uma reunião com o presidente da VALE já começam a levantar suspeitas sobre os reais interesses da "família Integral" nos negócios da prefeitura.

Doações eleitorais da Integral

As eleições municipais de 2012 foi a mais tranquila de toda a história de Parauapebas, mas hoje surgem algumas suspeitas que as contas eleitorais do Sr. VALMIR DA INTEGRAL e as doações recebidas da sua própria empresa precisariam ser melhor investigadas, há  quem diga que a Polícia Federal estaria a par de algumas irregularidades e já estaria em fase avançada nas apurações, será?

Parauapebas: Zeca Araújo, Aloisio Chaves... ignoram parecer técnico e aprovam pagamento de R$ 180 milhões para advogado

Mesmo com certidão fiscal vencida, assinaturas suspostamente falsas e parecer contrário do MPE e do Auditor de Contas, Zeca Araújo e Aloísio Chaves, conselheiros do TCM, lideram aprovação de contrato que lesa Parauapebas/PA em R$ 180 milhões, tudo para o bolso de um advogado

O que leva políticos/conselheiros do Tribunal de Contas a aprovar essa "malinagem", mesmo com parecer técnico contrário do Ministério Público e do Auditor do próprio Tribunal. Contrato com certidão fiscal vencida, sem publicidade, que lesa Parauapebas em R$ 180 milhões, tudo para o bolso de um advogado? Quem saberia explicar?

Você sabia I

Tanto o Ministério Público Especial quanto a Auditoria do TCM, órgãos técnicos do Tribunal, confirmaram a ILEGALIDADE da contratação do advogado Pazinato, realizada por Parauapebas?

Você sabia II

Os municípios de Minas Gerais, apenas da empresa VALE, sistema sul, dados oficiais do DNPM, até 2013, tinham pra receber R$ 2.348 Bilhões, não estão computados as outras mineradoras, nem as coligadas da VALE, é só a VALE?

Já o sistema norte, onde está Parauapebas/PA, dados oficiais do DNPM, tem R$ 963 milhões pra receber, ou seja, bem menos tanto em números absolutos quanto proporcionalmente.

Você sabia III

Lá em Minas Gerais, esse tipo de TCM não existe, de forma que a lei do Brasil e de Minas Gerais não permite contrato tipo esse do Pazinato?

Enquanto Parauapebas/PA pode ter um prejuízo de R$ 180 milhões, via honorários do Pazinato, em comparação, podemos dizer, que só com o Pazinato, as cidades mineiras economizaram R$ 469 milhões.

Você sabia IV

Que essas dívidas recebidas por Parauapebas se deve a uma decisão do STJ, um recurso especial, cujo trabalho do Pazinato foi tirar cópias do autos, depois de julgado, que DARCI aditou o contrato do Pazinato para adicionar a CFEM somente depois de conhecido o resultado do julgamento do STJ? 

Pazinato e o ano eleitoral

Observe, sempre em ano eleitoral acontece alguma coisa no contrato do Pazinato, qual será o motivo?

O contrato foi assinado em 2006, recontratado em 2012 e, agora, em inusitada decisão judicial, tem abertura de uma conta em 2014.

Pode ou não Pode?

Mas em Minas Gerais não pode e em Santa Catarina também não, só no Pará!? O contrato do Pazinato nos causa espanto, pior é saber que um agente público, de qualquer poder, mesmo do judiciário, tenha dúvidas sobre essa aberração jurídica.

Ufa!

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Parauapebas: NEPOTISMO - prefeito tenta "burlar" a decisão judicial e promove filha à secretária

"Quem pode pode e obedeça quem tem juízo": prefeito promove a filha para ser secretária e tenta burlar decisão judicial

VALMIR DA INTEGRAL desrespeita a decisão da juíza da 4a. Vara Cível de Parauapebas, Dra. Adelina Moreira, que determinou ao governante a exoneração da sua filha, Flávia da Integral, do cargo de Coordenadora de Licitação e Contratos da prefeitura de Parauapebas/PA, mas o empresário, "na base do quem pode pode e obedeça quem tem juízo", arranjou um jeito de curvar a lei e a ordem pública aos seus interesses particulares, beneficiando sua filha, que agora não é mais uma simples "coordenadora", a moça agora virou secretária de planejamento.

Na modesta opinião do Blog Sol do Carajás, o prefeito agrava a ilegalidade, viola princípios caros à administração pública, mostra que não tem respeito por ninguém, nem por uma decisão judicial e está disposto a tudo para curvar o interesse público  ao seu interesse particular e de sua família.

Parauapebas estarrecida com o nepotismo do prefeito, agora o empresário simula uma exoneração 
e nomeia a filha para a secretaria de planejamento

domingo, 27 de julho de 2014

Parauapebas: NEPOTISMO sem limites

Filho e filha do prefeito querem demissão do Secretário de Obras, Queiroga, e do Procurador Geral, Dr. Marcones José

Queiroga: Alessandro quer demissão
do secretário de obras

Corre a notícia que o filho do prefeito de Parauapebas, Alessandro da Integral, candidato a suplente do senador HELENILSON PONTES, flagrado em reunião oficial do município com a empresa mineradora VALE S/A, teria pedido a demissão do secretário de obras, Raimundo Queiroga, segundo os boatos, o rapaz vê no secretário um empecilho para os interesses familiares nos negócios da prefeitura. 

Já a filha, Flávia da Integral, que teria sido nomeada secretária municipal de planejamento, já exigiu ao pai a demissão do atual Procurador Geral do Município, Dr. Marcones José, para o seu lugar a moça quer o retorno do ex-Procurador, Dr. Mário Brasil.

sábado, 26 de julho de 2014

Parauapebas: Ministério Público cobra "obrigação" de Valmir da Integral

E se fosse o Salame, prefeito de Marabá, seria improbidade ou uma simples obrigação de fazer?

"Salame, a atuação do MPPA é barra pesada pra você,
aqui em Parauapebas é TIC-TAC, mas TAC do que TIC"
Improbidade ali, obrigação de fazer aqui


O Ministério Público ingressou com uma "estranha" obrigação de fazer contra o município de Parauapebas, poupando os agentes públicos das suas responsabilidades.

Nos parece que a postura do órgão é bastante "amena", notadamente quando comparamos com sua atuação em outros municípios, cita-se o caso de Marabá e Conceição do Araguaia.

Lei comprova atuação dolosa do governo Valmir da Integral

Decorridos mais de 2 anos da assinatura de um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta), com o governo anterior, chefiado pelo petista DARCI LERMEN, os membros do Ministério Público, na mais rica cidade do Pará, entram como uma simples ação de obrigação de fazer, mesmo diante de comprovados atos de improbidade praticados no atual governo Valmir Queiroz Mariano, que não só deixou de cumprir o TAC assumido, como enviou Projeto de Lei 028/2013, que dispõe sobre a regulamentação do sistema de transporte urbano do município de parauapebas, nas modalidades transporte público coletivo, transporte privado coletivo, transporte de pequenas cargas, condução escolar, táxi, moto-táxi e moto-frete, ou seja, um samba de "criolo doido", uma lei flagrantemente INCONSTITUCIONAL, consolidando a bagunça que "vanzeiros" fazem no transporte coletivo de Parauapebas.

Sem licitação

Pior, o prefeito "concedeu, sem licitação" a exploração dos serviços para as "cooperativas" que atuam em Parauapebas, pior ainda, assumiu compromissos de financiar os "equipamentos" para essas "cooperativas" (VEJA AQUI).

Financiamento

Ou seja, até financiamento para serviços concedidos irregularmente já foram aprovados, com "apoio" do governo municipal, através do Banco da Amazônia (BASA), ainda não há uma análise da origem dos recursos utilizados, mas é aconselhável que os responsáveis fiquem atentos, o Ministério Público Federal cobrará explicações do BASA, acerca dos empréstimos para as cooperativas beneficiadas pelo governo Valmir da Integral.

Basa já concedeu empréstimos? 

Tic-Tac

O governo de Parauapebas/PA, chefiado por Valmir Queiroz Mariano (PSD), fraudou o transporte escolar, já pagou mais de R$ 41 milhões para um único advogado de "camboriú", são mais de 300 milhões gastos sem licitação (até onde se sabe), fez propaganda pessoal na Veja, empregou a própria filha para "coordenar" as licitações e contratos da prefeitura, mas por enquanto só se tem notícias de  "TIC-TAC" e nada mais.

____________________________________________
Veja a matéria no Site do MPPA (AQUI)


PARAUAPEBAS: Justiça acata pedido do MPPA e determina que município garanta transporte coletivo

A juíza titular da 4ª Vara Cível de Parauapebas, Adelina Luiza Moreira e Silva, acatou os pedidos da Ação de Execução de obrigação de Fazer para cumprir os Termos de Ajuste de Conduta (TAC), firmado entre o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), por meio dos promotores de Justiça Crystina Michiko Taketa Morikawa e Paulo Sérgio da Cunha Morgado Junior e o município de Parauapebas, representado pelo prefeito Walmir Queiroz Mariano que determinou que o município proceda com licitação para a outorga de exploração do serviço de transporte coletivo de passageiros no município no prazo de 180 dias.

A ação se fez necessária devido ao fato do município não cumprir espontaneamente os compromissos assumidos no TAC, assinado em 31 de março de 2011, pelo então ex-prefeito Darcy José Lermen, o qual se comprometeu a realizar o procedimento licitatório para regularizar o transporte coletivo de passageiros na cidade.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

PARAUAPEBAS: chapa de HELENILSON PONTES ao senado pode ser questionada na justiça eleitoral

Reunião de presidente da VALE S/A com município de Parauapebas pode ter beneficiado chapa do candidato ao senado Helenílson Pontes (PSD)

Alessandro da Integral (seta ao fundo - candidato a suplente de Helenilson Pontes e filho do prefeito Valmir da Integal). À esquerda, presidentes e assessores da VALE

Foto oficial da reunião: à sua direita - Valmir da Integral (prefeito), Wander Nepomuceno (secretário de desenvolvimento), Marcones José (procurador municipal), José de Fátima (chefe de gabinete)

Candidato a suplente de HELENÍLSON PONTES participa de reunião de trabalho do município de Parauapebas

No dia 11 de julho, o prefeito de Parauapebas/PA, Valmir da Integral, foi recebido pelo presidente da mineradora VALE, no encontro levou seu filho, Alessandro Queiroz Mariano, candidato a suplente de senador na chapa do vice governador Helenílson Pontes (PSD). 

A comitiva do município de Parauapebas, além do prefeito, foi composta por uma equipe do governo municipal, todos do primeiro escalão, auxiliares diretos do prefeito: chefe de gabinete, José de Fátima; o secretário de desenvolvimento, Wander Nepomuceno, e o procurador geral do município, Marcones José.

No site oficial

Segundo o site oficial e o perfil mantido pelo governo municipal no facebook (acesse aqui) o "encontro entre o prefeito Valmir Mariano e o presidente da Vale, Murilo Ferreira, pode gerar parcerias. Em reunião ocorrida na semana passada, no Rio de Janeiro, Mariano apresentou à empresa o Distrito Industrial de Parauapebas, um projeto que propõe gerar cerca de 60 mil empregos diretos e indiretos, beneficiando toda a região sul e sudeste do Pará. A proposta é destinar uma área de 750 mil m2 à criação de polos de mineração, metal mecânico e de indústrias voltadas à verticalização mineral para produção de polietileno, pré-moldados para construção civil, industrialização de fibras e resinas. Além de apresentar o projeto, o prefeito reforçou os benefícios de uma parceria estreita e a importância da empresa para o município que recebe os mais de 75% dos funcionários da empresa, lotados no sistema norte. O alto índice de imigração e o esforço da Prefeitura para reduzir seus impactos e preparar a cidade com infraestruturas e oferecer educação também foi pauta da reunião."

Dúvidas

A reunião foi oficial e de trabalho, o município de Parauapebas e seus representantes, em comitiva chefiada pelo prefeito, foram recebidos pela empresa mineradora VALE S/A, que foi representada pelo seu presidente, Murilo Ferreira.

A dúvida reside no que motivou a participação do Sr. Alessandro Queiroz Mariano, o Alessandro da Integral, na reunião do município com a empresa VALE e seu presidente, MURILO FERREIRA, se foi pelo fato do Sr. Alessandro ser filho do prefeito ou se o rapaz foi promover para uma grande empresa, usando uma reunião oficial do município de Parauapebas, a chapa do candidato Helenílson Pontes (PSD) ao senado da república.

Registro de candidatura indica que família Integral gostou da política

Lei eleitoral

A lei eleitoral veda a participação de candidatos em inaugurações de obras públicas ou eventos oficiais que signifique promoção do candidato, no caso, trata-se de uma reunião oficial entre o município e a mineradora VALE S/A, obviamente a participação do filho do prefeito de Parauapebas não está devidamente explicada, podendo configurar ilícito eleitoral e administrativo, o que deverá ser apurado pelo Ministério Público, já que o evento ocorreu após o registro da candidatura.

Helenílson Pontes: suplente Alessandro não é passivo,
pelo contrário, candidato é ativo em reunião oficial de
trabalho do município com a VALE
Nepotismo: filho e candidato em reunião oficial de trabalho do município

O fato do filho do prefeito participar de uma reunião oficial de trabalho pode configurar uma espécie de nepotismo, onde o prefeito confunde o interesse público com os particulares e familiares, lembrando que a empresa Integral, de propriedade da família do prefeito, tem negócios com a mineradora VALE.

O prefeito foi denunciado por nepotismo, o chefe da família "Integral" foi flagrado beneficiando a própria filha, FLÁVIA DA INTEGRAL, nomeada para um cargo público, chefe da coordenação das licitações e contratos, justamente o setor por onde passa todos os negócios da prefeitura municipal.

Justiça deu 48 horas para prefeito Valmir da Integral exonerar sua filha, Flávia da Integral 

A justiça, em decisão inédita em Parauapebas/PA, em ação patrocinada pelo escritório de advocacia do Dr. JAKSON SILVA, presidente da subseção da OAB, nesse dia 23 de julho de 2014, determinou ao prefeito a exoneração de sua filha (veja aqui).

Veja propaganda da reunião no site da prefeitura

Veja matéria no site oficial do município

PARAUAPEBAS: NEPOTISMO - justiça determina exoneração de filha do prefeito VALMIR DA INTEGRAL

O escrachado NEPOTISMO no governo VALMIR DA INTEGRAL começa a ser combatido na decisão da Dra. ADELINA MOREIRA, juíza da Quarta Vara Cível de Parauapebas, que determinou ao prefeito a EXONERAÇÃO da sua filha, FLÁVIA DA INTEGRAL, do cargo de coordenadora de licitações e contratos da prefeitura, sob pena de multa diária de R$ 10 mil.

Parauapebas estarrecida com o nepotismo do prefeito,
agora o empresário nomeia a própria filha

Veja a decisão:


Advogados e autor da ação
Dr. Jakson, Dr. Helder e Lindolfo
A decisão é um marco na história de Parauapebas, um prefeito sem o menor pudor no trato da coisa pública, nomeia sua própria filha para cuidar dos negócios da prefeitura, uma atitude indecente que só germina na mente de quem não tem respeito pela cidade e pelos cidadãos que lhe elegeram.

É preciso que essa decisão não seja um fato isolado, o Ministério Público tem que aprofundar as investigações, as notícias são estarrecedoras.

"Primeiro, parabenizamos a Dr. Adelina pela celeridade no proferimento da decisão, temos certeza que é um grande passo na moralização do serviço público, no trato da coisa pública em Parauapebas", diz o Dr. HELDER.

Eleições 2014: Zé Rinaldo fala de desenvolvimento regional em reuniões da majoritária


O candidato a deputado estadual Zé Rinaldo (PSDB-Parauapebas) pela coligação “PRA FRENTE PARÁ”, participou neste sábado, 19 de julho, de reuniões da majoritária nas cidades de Canaã dos Carajás, Parauapebas e Curionópolis, lideradas pelo candidato a vice-governador, Deputado Federal Zequinha Marinho.

As reuniões aconteceram para organizar as coordenadorias municipais que irão comandar os trabalhos regionais da campanha para a reeleição do governador Simão Jatene. Em todos os municípios participaram representantes dos 15 partidos que compõem a coligação majoritária que trabalha em prol da continuidade do desenvolvimento do Estado, o seu crescimento econômico e a geração de emprego e renda para o nosso povo.

De acordo com Zequinha Marinho o Estado ganhou notoriedade no cenário nacional depois que Jatene assumiu o governo “O Pará passou por um processo de declínio econômico com a administração anterior e o Jatene teve um grande trabalho para retomar seu crescimento, pagar as dívidas deixadas e devolver a dignidade ao cidadão paraense e esse trabalho não pode ser cessado”, disse Zequinha conclamando a todos a unir forças em prol do projeto de reeleição do governador. “Precisamos continuar trabalhando e desenvolvendo nosso projeto em prol do crescimento do Pará”, enfatizou Marinho.

Zé Rinaldo, que também preside o PDSB em Parauapebas, lembrou de seu trabalho quando coordenou a campanha vitoriosa de Jatene em 2010 que o conduziu ao Palácio dos Despachos e destacou os benefícios que nossa região obteve nesses pouco mais de três anos e meio de governo. “Nossa região estava abandonada e não recebia obras, principalmente de infraestrutura viária, veja como melhorou nossas estradas com sua administração” destacou Zé Rinaldo lembrando que “o governo investiu muito em educação e melhorou a saúde em prol de toda comunidade”, ponderou.

Zé Rinaldo falou de sua decisão de candidatar a deputado estadual: “tomei essa decisão porque vejo a necessidade de ter um representante regional para lutar pelo nosso povo no âmbito estadual e trazer os bens e serviços para atender nossa comunidade”, declarou o candidato.

Como empresário e representante classista, tendo comandado a ACIP por dois mandatos e atuar como delegado da FIEPA para as regiões Sul e sudeste do Estado, Zé Rinaldo defendeu o desenvolvimento econômico com a industrialização dessa região. “precisamos criar leis de incentivo aos industriários que queiram instalar seus negócios aqui, isso representa desenvolvimento regional e, principalmente, geração de emprego e renda para nossa gente”, defendeu Zé Rinaldo.

Nas reuniões realizadas nesse sábado foram eleitos os coordenadores Anuar Alves para Canaã e região e Rui do Posto para Curionópolis, já a Coordenadoria de Parauapebas será definida nessa terça-feira, 22 de julho.

Reportagem e foto: Assessoria de Imprensa do PSDB Parauapebas

terça-feira, 22 de julho de 2014

Parauapebas: Ministério Público denuncia prefeito VALMIR DA INTEGRAL por crime ambiental

O atual prefeito de Parauapebas/PA foi denunciado pelo Ministério Público do Pará pelo cometimento de crime ambiental, podendo pegar até 3 anos de cadeia.

A denúncia está no Tribunal de Justiça do Pará.
-----------------------------------------------------------------------------------------------
Art. 38 da Lei de Crimes Ambientais - Lei 9.605/98
"Art. 38. Destruir ou danificar floresta considerada de preservação permanente, mesmo que em formação, ou utilizá-la com infringência das normas de proteção:
Pena - detenção, de um a três anos, ou multa, ou ambas as penas cumulativamente.
Parágrafo único. Se o crime for culposo, a pena será reduzida à metade."

segunda-feira, 21 de julho de 2014

O patrimônio incerto dos candidatos



O patrimônio incerto dos candidatos

Os erros nas declarações de bens prejudicam o entendimento do perfil dos políticos brasileiros

Em Figueirópolis D`Oeste, interior do Mato Grosso, mora o candidato mais rico das eleições deste ano. Na região rural do município de quase quatro mil habitantes, é dono da chácara Dois Irmãos, avaliada em um bilhão de reais, e do sítio Boa União, este de 900 milhões.

Também tem dois touros, 55 bezerras, quarenta e cinco vacas e mais algumas dezenas de animais, além de cento e cinquenta reais em espécie. No total, um patrimônio de 1,95 bilhão de reais.

Candidato a deputado estadual pelo PP, Layr Mota tinha 1,52 milhão de reais quando disputou uma eleição a vice-prefeito em 2008. Ou seja, aumentou seu patrimônio mais de mil vezes em seis anos. Desta forma, seus bens publicados no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que ele é o mais abastado entre quase vinte mil candidatos.

As declarações, é claro, são inverossímeis. Para que estivessem certas, o metro quadrado das terras do interior do Mato Grosso deveria ter um valor similar ao do centro da cidade de São Paulo.

O erro é aparente, mas quem se debruçar sobre os dados disponibilizados pelo Tribunal Superior Eleitoral vai encontrá-lo ao tentar calcular quem é o candidato mais rico desta eleição. (A declaração feita pelo político estava, nesta sexta-feira 18, disponível para consulta no site da Justiça Eleitoral).

Os bens de Mota não são os únicos que fogem à realidade. Há um apartamento de 320 milhões de reais, e outro de 43 milhões, ambos em Brasília. Já um Fiat Uno, carro recém-saído de linha, é avaliado em 21 milhões. Há ainda inúmeros outros casos que desequilibram tentativas de entender o patrimônio do político brasileiro.

Os erros ficam claros porque o TSE tem um banco de dados organizado e rapidamente disponível, uma exceção no opaco poder Judiciário. Mas é na origem dos dados que reside o problema.

A lei só exige que o candidato entregue a sua lista. Estas declarações, muitas vezes copiadas do Imposto de Renda, não são conferidas e não existe punição para quem as declarar de forma errada, seja por incompetência ou premeditada má fé.

O próprio TSE reconhece o problema. “Houve, por exemplo, o caso do candidato José Eymael, cuja declaração de bens informava um patrimônio de 17 milhões de reais. Saiu na imprensa que ele era o candidato mais rico, mas depois ele atualizou os dados e corrigiu o patrimônio para 5 milhões de reais,” declarou a assessoria de imprensa do tribunal por e-mail.

Assim como ocorreu neste caso, jornalistas, organizações da sociedade civil e cidadãos vão analisar exaustivamente os dados eleitorais. Farão levantamentos sobre o partido mais rico, o estado onde as mulheres tem mais dinheiro que os homens e os políticos que enriqueceram no cargo. Diante da numeralha, chegarão a conclusões para explicar a política nacional. Mas, diante de milhares de pequenos erros, estes levantamentos e suas conclusões dificilmente serão confiáveis. Seria como acreditar numa pesquisa eleitoral sem confiar em quem foi à rua entrevistar as pessoas.

Ao serem tratados com cuidado, os dados ainda podem ser úteis. Eleitores podem acessar o site do TSE, e obter a declaração de cada candidato individualmente. E aos que querem saber quem é realmente o candidato mais rico do país, reportagem do UOLtrouxe a resposta: Marcelo Almeida (PMDB), candidato ao Senado pelo Paraná, tem 740,5 milhões, um patrimônio erguido pela sua família com obras durante a ditadura.

www.cartacapital.com.br

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Prefeito petista idealizou contrato que pode render R$ 180 milhões de "honorários" a um advogado de "camboriú"

Segundo o  DNPM, municípios mineiros recebem as dívidas da VALE, o dobro de Parauapebas, e não pagam pedágio "ad exitum" para advogado, mas por que será que em Parauapebas é diferente? Hum? Qual o motivo? O$ MOTIVO$?


Malandragem oficial

Você sabia, somente depois que o STJ julgou a favor do DNPM, o recurso do sindicato das empesas mineradoras (diga-se VALE), é que DARCI LERMEN aditivou o contrato do PAZINATO para destinar milhões e milhões (R$ 180 milhões) ao "advogado de camboriú"?

Municípios  mineiros receberão o dobro

Você sabia, em Minas Gerais não tem "CASO PAZINATO" e os municípios mineiros recebem mais que o dobro de Parauapebas? 

20% para o  advogado que copiava

Em Minas Gerais foi sem risco (rsrsrsr),  mas com êxito, lá nenhum cidadão teve que vê sua cidade saqueada em 20% no que tinha pra receber das denominadas "dívidas da VALE", você sabia? 

Os  mineiros não  contrataram advogado para preencher planilhas e tirar cópias dos autos.

Lá em MG: ninguém tem dúvidas - só no Pará

Fique sabendo, em Minas Gerais tem ferro, tem dívidas da VALE pra receber, mas não tem PAZINATO!  

Isso não  nasce nas terras das "minas gerais" e nem nas calçadas itabiranas.

Em Minas Gerais, o  Tribunal de Contas não  tolera esse tipo de "armação", nem o Ministério Público. 

Essa Minas Gerais! Ah, Minas Gerais!  

Ficha Suja: 1 em 5 impugnados

Dos 1.849 candidatos que tiveram o pedido de cassação do registro pelo MP, 362 são de políticos enquadrados na lei que impede a participação de políticos condenados pela Justiça

Nova marca das eleições 2014 nas dimensões 340x173, para ser utilizado com notícias.

Perto do fim do prazo para que o Ministério Público Eleitoral (MPE) conteste os registros de candidatura em todos os estados do país, o número de impugnações cresce a cada dia, principalmente em razão da Lei da Ficha Limpa. 

Números apurados até a noite de ontem mostram que o MPE pediu que a Justiça Eleitoral negue o registro a 1.849 postulantes aos cargos de deputado distrital, estadual e federal, além de senador e governador, dos quais pelo menos 362 (20% do total) foram denunciados por supostamente serem fichas sujas.

Os números são parciais, pois ainda não englobam as impugnações de São Paulo, o maior colégio eleitoral do país. Em estados como o Ceará, o Maranhão e o Piauí, por exemplo, os dados ainda não são definitivos. 

No entanto, o último balanço já aponta uma quantidade maior, em 2014, de contestações de candidaturas baseadas na Lei da Ficha Limpa na comparação com as últimas eleições gerais de 2010.
_____________________________
Nota: em Parauapebas tem uma lei que veda a ocupação de cargo comissionado por FICHA SUJA.  É bom o "ficha suja" que assessora o prefeito VALMIR "capar o gato", pedir pra sair, pois terá  que devolver o que  recebeu, desde a promulgação  da lei.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

SÍNTESE: A consciência ambiental tem que prevalecer

Ouvimos falar praticamente todos os dias em meio ambiente que chega a ser um assunto enjoado por ser repetitivo (não é o caso da região), mesmo sendo um assunto tão ignorado é salutar e de vital importância para nossa sobrevivência. Muitos tiram proveito disso, não pensando realmente no meio e sim em lucro. 

O bem ambiental é um conceito fácil de ser entendido e se conseguirmos equilibrar nossas ações garantiremos nossa existência, literalmente

Mas precisamos realmente nos preocupar? O fato é que todos nós, seres vivos, precisamos de condições mínimas para viver. Necessitamos de condições adequadas e saudáveis no nosso dia a dia, tais como ar puro, água potável em quantidade suficiente para saciar a sede e para nossa higiene pessoal. Precisamos de um ambiente saudável, limpo e com saneamento adequado. Todos nós gostamos de viver numa sociedade limpa e arborizada, com segurança e equipamento para o lazer. Ou seja, queremos viver com qualidade. 

Antigamente, consideravam que os recursos ambientais era ilimitados, inesgotáveis. O conceito era que podíamos usar o que quiséssemos do nosso mundo e que os recursos eram permanentes renovados. A ciência e os fatos se encarregaram de mostrar que não é bem assim. Inúmeras espécies foram extintas, florestas foram devastadas, a poluição está praticamente em todos os lugares e o ar que respiramos está "comprometido". 

A tecnologia vem ajudando bastante, mas esse processo evolutivo também traz impactos ambientais até por quê muito do que foi desenvolvido foi feito na teoria do que nosso ambiente é ilimitado, isso está se revertendo, a preocupação está maior, a necessidade da preservação está sendo um fator primordial no mundo da produção tecnológica. No entanto o que mais intriga são os fatores básicos e pessoais que estão destruindo o ambiente de convivência. 

Se não adotarmos uma postura de preocupação com nosso habitat, darmos para nós mesmo uma alternativa de melhora, cobrarmos efetividade dos órgãos competentes. Não podemos questionar o meio ambiente ruim que temos.

*Jorge Clésio, Acadêmico de Engenharia de Produção

Parauapebas: NEPOTISMO no governo Valmir da Integral beneficia irmã de vereador

JOSINETO/JOSÉLIA: NEPOTISMO na prefeitura de Parauapebas, irmã do vereador ocupa cargo comissionado


JOSINETO e JOSÉLIA


O vereador JOSINETO OLIVEIRA, denunciado por suspeita de várias falcatruas na presidência da Câmara Municipal, tem sua irmã, JOSÉLIA OLIVEIRA, ocupando cargo comissionado na prefeitura de Parauapebas, a moça é "secretária-adjunta" de cultura, é mais um caso de evidente NEPOTISMO no governo VALMIR DA INTEGRAL.

300

O governo municipal e a câmara de vereadores não divulgam a lista dos servidores ocupantes de cargos comissionados, a suspeita é que exista cerca de "300" parentes de políticos ocupando cargos comissionados, há quem diga que alguns deles nem em Parauapebas andam, só recebem, será?


300 "espertãos"

Já imaginou, você cidadão pagando esses 300 "espertãos" parentes de prefeito, secretários e vereadores? 

PEDIDO 

Já foi pedido a 4a. Vara Cível de Parauapebas a relação dos servidores da prefeitura municipal, o que esperamos seja determinado o mais breve possível.

O escrachado comportamento do prefeito VALMIR DA INTEGRAL, nomeando a própria filha para "coordenar" as licitações e contratos dos negócios da prefeitura não é um caso isolado.

VALMIR/FLÁVIA DA INTEGRAL e JOSINETO/JOSÉLIA OLIVEIRA: nepotismo, sem vergonha


Será que Parauapebas, beirando os 200 mil habitantes, não tem outras pessoas para ocuparem esses cargos, só serve a filha e a irmã do vereador? 

MURO BAIXO

Vários prefeitos e vereadores já foram afastados dos seus cargos devido a prática de nepotismo, você acredita que ocorrerá alguma coisa aqui em Parauapebas? Eu acredito, apesar do muro baixo!

quarta-feira, 16 de julho de 2014

“Lençóis de esperança”, por Marina Silva

(Foto: T photography/Shutterstock)

Ontem, em passagem mais uma vez pelo Maranhão, tive a oportunidade de revisitar uma admiração cultivada à distância. Sempre escutei falar de um povo que vivia lá onde termina a floresta amazônica, no encontro com a caatinga e o cerrado, cheio de ricas tradições e conhecimentos, vivendo com grandes sacrifícios em meio a uma grande riqueza natural.

Nessa terra distante sobressaía, como em outras, o traje de seus representantes políticos, muitos deles quase hereditários, mas eram os minúsculos e infinitos grãos de areia que bordavam delicados lençóis para lindamente envolver seu tão desamparado povo.

Um belo povo. Já nas lutas dos povos extrativistas, aprendi a admirar as “quebradeiras de coco babaçu”. Mais de 300 mil pessoas –predomínio absoluto das mulheres, cerca de 90 – trabalhando com o fruto de uma palmeira que é uma dessas dádivas da natureza e gera alimento, energia, cosméticos, uma grande variedade de produtos.

Quem tem medo do BRICS?

O bloco só cresce de importância, mas determinados setores continuam insistindo na tese de decadência

Por Roberto Amaral 

Vladimir Putin (Rússia), Nerendra Modi (Índia),
Dilma Rousseff (Brasil), Xi Jinping (China) e
Jacob Zuma (África do Sul)
Há dez anos surgiu o acrônimo BRIC, sigla formada pelas iniciais de quatro países que despertavam admiração no mundo pela vitalidade de suas economias – Brasil, Rússia, Índia e China, aos quais se associa a África do Sul – e que hoje representam 19% do PIB global. Nesses dez anos, o conjunto de suas economias cresceu de 3 trilhões de dólares para 13 trilhões de dólares. Esses 10 trilhões a mais correspondem em nossos dias a seis economias da Grã-Bretanha em 2001. Ainda nesses curtos dez anos, a China, a locomotiva do bloco, crescendo a um ritmo médio de 7% ano, chegou ao posto de segunda economia do mundo; suplantou o Japão e é o dobro da economia alemã, o mais rico e mais poderoso país da Europa Ocidental. Não obstante, a grande imprensa mundial, as ‘consultorias’ e agências de ranking disso e daquilo de Wall Street e da City de Londres, o FMI e a OCDE, a grande imprensa de lá –The Economist, The Financial Times, The Time – de cá – o jornalão, a revistona – anunciam o réquiem do bloco, como diariamente anuncia a falência do Mercosul.

Nossas exportações, no entanto, principalmente de manufaturados, para nossos vizinhos só têm aumentado. O Brasil, embora crescendo a taxas relativamente baixas, ultrapassou a Itália e a Inglaterra, e é hoje a sexta economia mundial. Nas duas últimas décadas o peso econômico dos países integrantes dos BRICS aumentou de 5,6% para 21,3%, o que, convenhamos, não é nada desprezível. Projeta-se para a próxima década em 3% a expansão da economia mundial, mas o crescimento dos BRICS está estimado em 7%. Em 2015 esse conjunto de países poderá ser responsável por cerca de um quarto do PIB mundial.

As trocas entre os cinco países somavam 250 bilhões de dólares e podem chegar a 500 bilhões de dólares já em 2015. A China já é nossa principal parceira comercial e as negociações em curso prometem elevar o fluxo comercial entre o Brasil e a Rússia para 10 bilhões de dólares, já neste ano. Relativamente ao país de Putin, para além das trocas comerciais, há uma largo espaço para percorrer no campo da cooperação científica e tecnológica. E inovação, onde são notórias nossas carências

Nossos cinco países representam 20% do PIB mundial e cada um exerce papel de forte liderança em seus respectivos continentes. Não são números irrelevantes e contrastam com o descrédito e o ceticismo da opinião conservadora que acompanha com restrições as possibilidades de expansão econômica – e nela envoltas, de expansão política e militar desses países – alterando a correlação de forças do status quo internacional ensejado pela derruição do bloco socialista e o fim da Guerra Fria. É a resposta da realidade objetiva ao descrédito que a economia desses países despertava, e de certa forma ainda desperta, nos círculos conservadores internacionais. No Brasil ele é criticado, na companhia do Mercosul, por aqueles que não compreendem que nosso país possa integrar projeto, político ou econômico, que não seja chancelado pelos EUA. Em um mundo caracterizado pelas mais profundas assimetrias de poder, a política de blocos – a que não têm fugido mesmo os EUA – é um imperativo de sobrevivência daquelas economias mais frágeis que encontram sua superação na negociação coletiva. Esse bloco tem possibilitado a ação coordenada em foros internacionais e construção de uma agenda própria.


Parauapebas: candidaturas de Faisal (PPS) e Cláudio Almeida (PR) tem pedidos de impugnação

Campanha mal começou, dois fortes candidatos de Parauapebas já enfrentam problemas: Faisal (PPS) e Cláudio Almeida (PR)

Cláudio Almeida: candidatura
tem pedido de impugnação pelo Ministério Público
A candidatura de Cláudio Almeida (PR) tem seu registro com pedido de impugnação do Ministério Público Eleitoral (veja a lista aqui), o motivo alegado pelo MPE é a ausência de prestação de contas de campanha eleitoral.

Faisal: pedido de registro
impugnado pelo PT e PMDB
Outro que teve pedido de impugnação de registro de candidatura foi Faisal Salmen (PPS), que disputa uma vaga para deputado federal, no caso o pedido foi realizado pela Coligação "Todos pelo Pará II", encabeçada pelo PMDB e PT, não foi divulgado o motivo.