sábado, 31 de agosto de 2013

GOVERNO VALMIR: SINDICÂNCIA E PREVARICAÇÃO!

No Blog do Luiz Vieira (aqui) tem excelente matéria sobre o discurso e os constantes lapsos de memória do Sr. Valmir da Integral. O prefeito diz que realizou sindicância na SEMED, mas será que o alcaide enviou o caso à Polícia e ao Ministério Público, terá esquecido, e o Corregedor Geral do Município, tem ciência, que fez? Quem tem o dever de agir, caso não o faça, pode incorrer em prevaricação.

Transcrevemos a matéria, leia:

_______________________________________

VALMIR ANUNCIA SINDICÂNCIA NA SEMOB


No encontro organizado pela UFRA ontem, 29 de agosto no auditório da FAP várias autoridades marcaram presença, tais como: João salame -Prefeito de Marabá, Deputado Geovane Queiroz, Prefeito Valmir, Presidente da Câmara Josineto Feitosa, vários Vereadores e outras autoridades institucionais e acadêmicas. A pauta principal era o Estado de Carajás.

Na mesa de abertura o Prefeito Valmir da Integral fez um discurso sem contexto e listou as obras do seu governo. Na platéia lotada ouvia-se um burburinho geral: que obras? Para constrangimento de todos, o Prefeito teve um lapso de memória e esqueceu completamente o que estava falando. Comenta-se a boca pequena que isso tem sido frequente desde a campanha. As pessoas próximas já temem por esse sintoma e há até quem se aproveite do seu estado de esquecimento. 

Na apresentação sobre o Estado de Carajás o Prefeito João Salame e o Deputado Geovane Queiroz roubaram a cena. Para não ficar para trás e mais uma vez fora do contexto o Prefeito Valmir da Integral falou que estava realizando sindicância nas suas secretarias. Já realizou na SEMED onde encontrou muitas falcatruas que culminou com a exoneração da Francisca Ciza com apenas 6 meses de gestão; na Secretaria de Saúde não foi diferente. Só que não exonerou o Secretário Rômulo por ser amigo pessoal mas exonerou o Secretário Interino Edineis, que serviu de bode expiatório; no gabinete após a sindicância exonerou o Chefe de Gabinete Zé Omar e agora a sindicância estava na SEMOB.

Quando o Prefeito anunciou que a sindicância estava na SEMOB um vereador se remexeu incomodado em sua cadeira. Há suspeita de desvio de mais de cinco milhões somente naquela pasta. Se isso é verdade somente a tal sindicância vai descobrir e deixar a informação guardada a sete chaves. O fato é que há claros indícios de enriquecimento instantâneo de uma figura pública que na campanha estava na pior miséria. O Secretário titular Dário Veloso está em maus lençóis a julgar pelos resultados que essas sindicâncias vem provocando. Será que ele cai ou cairá alguém da sua equipe para justificar o rombo? 

Talvez na SEMOB a coisa não apareça tão feia pois Dário conta com a assessoria do Wanterlor Bandeira que é especialista em empurrar o lixo para debaixo do tapete e fazer a casa parecer limpa. Basta ver a construção do prédio da Câmara na gestão do Euzébio onde houve suspeita de superfaturamento e ninguém até hoje foi preso e nem sequer incomodado pelo Ministério Público.

Ao anunciar essa sindicância Valmir achou que estaria bancando o Juscelino Kubitschek, mas deu um tiro no próprio pé. Agora a sociedade vai querer saber o resultado de todas elas. O seu secretariado já está com as barbas de molho há muito tempo e o clima é de desconfiança total. Depois desse anúncio, recomendo a Valmir que dobre a sua segurança e não coma nem beba nada antes de certificar a origem.

O curioso do encontro foi que o Prefeito Valmir da Integral estava aniversariando. Ninguém se lembrou. Nem uma pequena menção! É, os tempos mudaram. Parabéns Valmir! Muita saúde, sabedoria e discernimento.

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

MAIS UMA "SANDICE" DO PREFEITO DE PARAUAPEBAS

Manifestação: Prefeito de Parauapebas recebe moradores da área conhecida como Nova Vitória
Foto: www.pebinhadeacucar.com.br

VALMIR DA INTEGRAL, EM REUNIÃO COM MORADORES POBRES QUE VIVEM EM ÁREA DE RISCO:

 "...NÃO VOU SALGAR CARNE PODRE..." 


Comparar as pessoas humildes e sua forma de sobreviver com "carne podre", sinceramente, é uma "sandice", mostrando apenas a intolerância e incapacidade do prefeito e empresário VALMIR DA INTEGRAL. 

Não é a primeira vez que moradores pobres, vítimas da especulação imobiliária, são agredidos em sua dignidade, o ex-prefeito de Manaus, Amazonino Mendes, mandou moradores de bairro pobre morrer, além de destilar preconceito contra os paraenses. O triste é que a agressão parte de quem tem a obrigação de apresentar políticas públicas para solucionar esses problemas habitacionais.


Prefeito de Manaus manda moradora morrer:
Clique e assista ao vídeo

O prefeito de Parauapebas é mesmo uma figura "excêntrica", anormal, nessa mesma reunião o empresário da Integral disse que não tinha muito o que fazer pelos moradores, pois a área que eles habitam é de risco e pertence ao INCRA.

Mas o prefeito só lembra das dificuldades quando é para atender aos moradores pobres, nessa hora a conversa é sempre a mesma: " não pode, é área de risco, meu filho"; "isso é terra do Incra". O lenga-lenga é sempre o mesmo. Mas os loteamentos irregulares, esses podem tudo no governo VALMIR DA INTEGRAL.

O prefeito não entendeu, ainda, que administra uma cidade rica, porém com muitos problemas sociais, quase todos agravados por políticos que nem VALMIR DA INTEGRAL: incompetente e sem o menor compromisso com políticas sociais para atender as populações carentes!

Em "homenagem" aos prefeitos "impacientes" com os mais pobres, vamos plagiar o "amazonino" e dizer: "Meu prefeito, então, viva, viva!"

VALE ANUNCIA QUE JAZIDA DE CARAJÁS ESTÁ PRESTES A ACABAR

A grandeza que a foto sugere, em 40 anos, será
apenas isso, uma foto! E Parauapebas?

A Vale anuncia que a principal jazida do melhor minério de ferro do mundo será exaurida ao longo de 40 anos. Trinta anos antes, quando deu início à sua atividade em Carajás, no Pará, a previsão era de que a mineração se prolongaria por 400 anos, mas só considerando o volume de minério que podia ser lavrado a céu aberto e com volume ainda não completamente avaliado. Se as frentes de extração em Carajás seguirem o planejamento da empresa, essa história não irá além de um século. 

Trinta anos antes a Vale não teria a tranquilidade que ostenta ao anunciar que o maior investimento da sua história e o maior que está sendo realizado no momento em todo mundo, no valor de quase 20 bilhões de dólares, terá duração de 40 anos. 

Haveria reação, mesmo ainda sob um governo militar, o último, em seus estertores, do ciclo da ditadura. Sem dúvida, reação do pessoal técnico. Provavelmente, da opinião pública também. Jamais um vaticínio dessa gravidade seria recebido sob o silêncio sepulcral de hoje, o que explica a tranquilidade da Vale. 

O açodamento da mineradora na consumação do destino de Serra Sul tem sua razão no receio de que haja reflexão um pouco mais atenta por parte da sociedade sobre o que significa submeter um patrimônio tão valioso a um processo de exploração tão intenso, visando exportar maciçamente um bem praticamente in natura. 

Aos preços de hoje, apenas Serra Sul proporcionará uma receita média anual de quase 10 bilhões de dólares. No período de quatro décadas, o faturamento atingirá US$ 400 bilhões, 20 vezes o valor do investimento. 

Parece muito, mas não é. Cálculos feitos a partir do beneficiamento do minério bruto chegarão a valores incomparavelmente superiores. A Vale não está se importando com o que pode ocorrer na escala de transformação do seu produto. Ela é apenas mineradora (ou, cada vez mais, uma empresa de logística que faz circular minério por seus trens, portos e navios) e ponto final. Para a nação, isso é um crime. 

Como empresa privada (que, efetivamente, não é: continua a ser, de direito, mesmo que não de fato, empresa privada, por mero oportunismo e má fé do governo federal), ela pode até justificar a estratégia de passar a tirar 250 milhões de toneladas anuais de Carajás, a partir de 2017 (10 vezes mais do que o máximo de produção previsto no projeto original), e remeter essa riqueza além-oceanos.

Tal volume de minério singrando entre os oceanos já reforçaria o peso mundial da mineradora. Mas trata-se do minério que mais contém hematita de toda a crosta terrestre. Não há nenhum outro semelhante ao de Carajás. Assim, se o preço do minério no mercado internacional cair até pela metade (de 100 para 50 dólares a tonelada, por exemplo), a Vale será das poucas que ainda terá margem de lucro para sobreviver. Graças à excepcional qualidade do produto que comercializa e à facilidade em extraí-lo do sobsolo, através de lavra a céu aberto.

Esse seguro contra qualquer crise de mercado e em favor da hegemonia da companhia é estabelecido à revelia do interesse nacional. Se o Brasil ainda tivesse uma política mineral, não permitiria o saque alucinado sobre Serra Sul. 

Guardaria essa reserva para o futuro, desenvolvendo pesquisas e realizando experimentos com minérios menos nobres. Ao mesmo tempo, fomentaria a atividade industrial, para impedir essa prática colonial de exportar matéria prima. 

Há no momento um caso exemplar a servir de patética advertência contra a atitude assumida pela Vale. As obras da ferrovia Norte-Sul, que foram retomadas na tentativa de concluir um trecho empacado há vários anos (entre Palmas, a capital do Tocantins e Anápolis, em Goiás), pode parar de novo. É que faltam trilhos. 

Dois anos atrás, a Valec, responsável pela obra, teve que cancelar um contrato com a firma chinesa Dismaff, por causa da má qualidade do material (além de irregularidades administrativas). Uma nova licitação foi realizada. Quem a venceu foi outra empresa do dono da Dismaff. 
O contrato foi novamente questionado pelo Tribunal de Contas da União. Para tentar encontrar outro interessado, a Valec fracionou a compra em lotes de 30 mil toneladas cada. Se, diretamente ou por via oblíqua, a Dismaff for de novo a vencedora, a construção da ferrovia terá que parar.

A pergunta óbvia que se faz é: por que o Brasil, tão rico em minério de ferro, não fabrica trilhos, estando em andamento um plano nacional de novas ferrovias? Nem sequer trilhos o Brasil pode fabricar. Recorre a produtos chineses, que, nesse caso, não parecem estar sendo fabricados com o minério de Carajás, do qual a China é a maior compradora. 

Certamente a penetração chinesa nesse mercado deve-se ao baixo preço da mercadoria que oferece. Mas já não há dúvida de que ela não tem a qualidade exigida, como não tem o cimento que em escala crescente é importado de lá. O motivo dessa preferência é o preço: o cimento chinês atravessa os mares e chega a Belém do Pará, a terra do minério, por um preço que é praticamente a metade daquele praticado pela Cibrasa (do grupo João Santos, do cartel nacional) nas suas duas fábricas paraenses – aliás, implantadas com a colaboração do governo federal, através de renúncia fiscal. 

Os brasileiros continuarão a assistir, desinteressados, a esses absurdos, que resultam de uma prática ofensiva aos interesses estaduais, regionais e nacionais? O silêncio em relação a essa situação não é daqueles que o filósofo considera de ouro, em comparação com a palavra, apenas prateada. É um silêncio de quem, considerando inevitável o estupro, relaxa e aproveita.

Fonte: www.yahoo.com.br

FAP 2013 - SIPRODUZ





FAP 2013



As inscrições da Prova de Tambor e Baliza já estão abertas na FAP 

A 4ª Etapa do Circuito Paraense da Prova de Tambor e Baliza que acontecerá em Parauapebas e marcará a abertura oficial da Feira de Agronegócios de Parauapebas (FAP) iniciou suas inscrições nesta quinta-feira (29) a partir das 14hs no Parque Lázaro de Deus Vieira. A prova acontecerá pela segunda vez em Parauapebas dento da programação da FAP, é uma atrações prediletas do público, pois conta com a participação de montadores de várias partes do país pois conta com o total apoio do Sindicato dos Produtores Rurais de Parauapebas (SIPRODUZ) em parceria com a Associação de Tambor e Baliza do Pará (ATBPA).

A Prova de Tambor e Baliza oferece este ano R$ 60.000,00 (sessenta mil reais) em prêmios divididos em 106 itens de prova. De acordo com Manoel de Oliveira Silva “Manoel Chibata” as provas são repletas de muitas regras e que é importante que o participante faça sua inscrição pessoalmente para receber melhores informações. “Esta segunda etapa da prova do tambor e baliza será emocionante, pois contaremos com crianças, profissional e amador é por isso que chamamos de prova da família, pois todos participam” disse Chibata. 

Informações sobre a Prova do Tambor e Baliza: 

- Dias 29/08 a 01/09 2013 inscrições com preço de acordo com a categoria.

- Dia 30/08 - Abertura oficial com apresentação de portões abertos.

-Todas as provas terão o acompanhamento da equipe da Associação de Quarto de Milha- (BQM) e da NBHA.


Prova 6 Balizas (07 categorias):

- Kids
- Iniciante
- Aberto (com o peso de até 75 kg)
- Júnior
- Jovem
- Feminino
- Amador

Prova 03 Tambores (09 categorias ):

- Kids
- Iniciante
- Poudo
- Aberta
- Júnior
- Jovem 
- Feminino
- Amador
- Tira Teima


Fonte:  ABCOM SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO & MARKETING
             ASCOM FAP

CASO DONADON: DISCURSO DE WANDENKOLK GONÇALVES

WANDENKOLK diz que plenário da Câmara rasgou
 a Constituição  ao salvar mandato de deputado preso!

"Os tiranos e bárbaros antigos tinham, por vezes, mais compreensão real da justiça que os civilizados e democratas de hoje. Não arrastemos o Brasil ao escândalo de se dar em espetáculo à terra toda como a mais fútil das nações, Eia, senhores! Mocidade viril! Inteligência brasileira! Nobre nação explorada! Brasil de ontem e amanhã! Dai-nos o de hoje, que nos falta.”

Este trecho foi retirado do discurso do jurista baiano, Rui Barbosa, proferido em 1920 aos formandos em Direito da Universidade de São Paulo. Como pode um discurso de 93 anos ainda ser tão atual?

A Câmara dos Deputados presenciou ontem, desde a redemocratização em 1985, um de seus dias mais nefastos. Entendeu-se que um deputado federal condenado a 13 anos de reclusão, com sentença transitada em julgado e que chegou algemado ao Plenário não deveria perder o mandato. Fomos 233 os que entendiam que a situação era insustentável, mas a abstenção de 41 e a negação de 133 mantiveram o mandato do deputado federal.

O Plenário da Câmara dos Deputados rasgou a Constituição Federal, rasgou a memória de seus ilustres antepassados (dentre os quais estão Jorge Amado, Ulysses Guimarães, Nilo Peçanha), rasgou a sua própria imagem e rasgou todo o processo de moralização pelo qual passava a casa. Atendendo aos clamores das ruas, votamos contra a PEC 37, a favor dos royalties do petróleo para educação e saúde, corte de gastos internos, direitos das domésticas, passe livre para estudantes, mas esqueceram um projeto fundamental: o fim do voto secreto.

A decisão pela não cassação só ocorreu, e falo sem medo de repercussões, porque muitos parlamentares esconderam-se atrás do voto secreto. Se amanhã estivesse estampado nos jornais o nome de cada deputado e como votaram, o resultado seria outro, assim como foi com a PEC 37. O que ocorreu ontem foi uma mistura de corporativismo, com amizade pessoal e piedade pela situação carcerária do deputado Donadon, todas ocorridas sob os mantos do voto secreto.

O deputado de Rondônia argumentou que era tratado “como um preso comum” e que logo antes de vir “havia faltado água e precisei pedir água emprestada ao meu colega carcerário”. Esta, meus caros, é a situação em que vivem TODOS os detentos deste país, sem exceção, não existe presídio agradável. Ser tratado igual a todos não é vergonha alguma e muito menos justifica a manutenção do mandato. Isto poderia servir de exemplo para que esta Casa votasse projetos que melhorem a qualidade de vida dos encarcerados ou uma reforma da Lei de Execuções Penais, que é de 1984 e clama por uma reforma, mas nunca a absolvição do deputado Natan. Porém, não foi isso que 172 deputados entenderam.

Por sinal, a Câmara não estava julgando se o parlamentar era ou não inocente. O STF, após a oitiva probatória e análise dos pareceres de ambas as partes, bem como a garantia de ampla defesa ao deputado, já tinha pronunciado seu veredicto. Não tínhamos condições técnicas – até porque não analisamos o processo – e legais de realizar um novo julgamento. Estávamos imbuídos, somente, de dar uma resposta àqueles que nos escolheram para bem representá-los e referendarmos a decisão do STF. Não somos um órgão revisor de decisões judiciais.

O desfecho de tudo isto é um conflito sem precedentes entre dois Poderes. Um gritante desrespeito a uma decisão do Poder Judiciário e um gritante desrespeito ao povo brasileiro. Hoje, meus amigos, compartilho do sentimento de cada um de vocês. Assim como vocês, pago os meus impostos e trabalho duro para fazer deste um país melhor, mas esbarrei ontem naqueles colegas de profissão, que todos temos, que somente nos envergonham. Ontem, 233 justos pagaram por 172 injustos

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

MUDANÇAS NO PALÁCIO DOS VENTOS ABORTADAS


Zé Rinaldo-SEFAZ

Wadyr-SEMAD
Pelo menos por enquanto os cargos do Secretário de Fazenda e do Secretário de Administração -ambos do PSDB- estão a salvo. O Prefeito já havia decidido fazer a troca nessa semana. Inclusive preparou o terreno devolvendo por decreto os poderes e atribuições à SEFAZ e devolvendo o nobre e luxuoso espaço físico que era ocupado pelo Célio Costa. 

Raciocinem comigo: não é segredo para ninguém que Valmir nunca gostou do Zé Rinaldo por identificar nele uma ameaça às suas pretensões políticas. De forma arbitrária e humilhante tirou todos os poderes da SEFAZ  e repassou para a SEPLAN do Célio Costa. Obrigou o Zé Rinaldo ocupar uma salinha modesta no Centro Administrativo e entregou o espaço nobre que era da SEFAZ ao Célio. O que aconteceu para ele mudar de ideia? Passou a confiar no Zé Rinaldo? Nao. Apenas preparou espaço para receber outro secretário que herdaria os poderes do Célio Costa.

A mudança foi abortada depois de uma ida do Prefeito à Belém para receber um puxão de orelha do Governador Simão Jatene do PSDB. Pelo menos por enquanto os cargos do partido serão preservados mas o Zé Rinaldo continuará na frigideira. Sinceramente eu lamento esse comportamento desleal. Não tenho nenhuma relação com o Zé Rinaldo, mas é óbvio que ele foi um dos esteios financeiros da campanha vitoriosa do Valmir.

Fonte: blog do Luiz Vieira

VALMIR DA INTEGRAL: PARABÉNS PRA VOCÊ

PREFEITO VALMIR DA INTEGRAL
Em 29 de agosto de 1947, vinha ao mundo o Sr. VALMIR QUEIROZ MARIANO, hoje prefeito de Parauapebas, aos 66 anos de idade. 

Desejamos um feliz aniversário e muitos anos de vida!

Mas você, cidadão de Parauapebas, que presente daria ao prefeito, nesta data querida?

Como diria o gaúcho Darci Lermen: 

"...churrasco, bom chimarrão, fandango, trago e mulher, é disso que o velho gosta, é isso que o velho quer!" 


quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Nota da Rede Sustentabilidade sobre o registro do partido no TSE

 


Em relação a notícias publicadas ontem e hoje, após o pedido oficial de registro da Rede Sustentabilidade como partido no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), informamos que é preciso esclarecer ao público que em nenhum momento a #rede solicitou que sejam abertas exceções para dar andamento no processo de criação do partido. Todas as ações tomadas até o momento e todos os procedimentos solicitados pela #rede estão previstos em lei e resoluções da Justiça Eleitoral e já foram aplicadas em outras ocasiões. Dessa forma, a #rede não pede favorecimento, mas apenas o cumprimento da legislação eleitoral.

A afirmação de que a #rede pretende criar o partido sem o número mínimo de assinaturas de apoio é falsa. Na manhã de ontem (26) a Rede Sustentabilidade deu apenas o primeiro passo no processo de registro no TSE, que deve durar pelo menos 30 dias. Ao longo desse processo serão entregues todas as assinaturas necessárias, incluindo as que ainda não foram certificadas devido à lentidão dos cartórios eleitorais, que não vêm cumprindo o prazo legal de 15 dias para validação.

Em relação à petição para a certificação das assinaturas de apoio por edital, a #rede informa que este é um procedimento normal, previsto pela Resolução TSE 23.282 de 2010, que já foi aplicado anteriormente. Exemplo disso foi a decisão da Justiça Eleitoral do Rio Grande do Sul, que certificou as assinaturas de apoio à #rede dessa forma. Assim, essa solicitação não é uma inovação nem uma forma de pular etapas. A #rede solicita o uso desse expediente somente nos casos de invalidações sem justificativas e nos casos de ausência de parâmetros e material de comparação para a certificação, como forma de tratar problemas estruturais do processo, que são as principais causas dos atrasos nos cartórios.

É importante lembrar que certificação por edital permite cumprir uma lei que não vem sendo respeitada pelos cartórios eleitorais, a qual prevê um prazo máximo de 15 dias para checagem e validação das assinaturas. A #rede busca, por meio desse procedimento, lidar com um problema sistêmico, que são a falta de recursos humanos e materiais nos cartórios, a falta de padronização dos procedimentos de certificação, inconsistência nos dados armazenados dos eleitores e a falta de justificativas para recusas de assinaturas.

A Rede Sustentabilidade reitera que 867 mil pessoas em todo o país deram seu apoio à criação do partido e 637 mil tiveram suas assinaturas encaminhadas aos cartórios eleitorais. Somente menos da metade delas - 304 mil assinaturas – foram certificadas até o momento. Há cerca de 220 mil cidadãos cujo apoio ainda não foi validado. Cerca de 90% deles há mais de 15 dias. Outros 30 mil aguardam há dois meses. Dos 95 mil apoios rejeitados pelos cartórios, 80% não tiveram direito a uma justificativa que explique porque sua voz não pôde ser ouvida.

Sobre a Resolução TSE 23.282 de 2010

O pedido de validação mediante publicação de edital das assinaturas cujos prazos venceram em cartório é um expediente previsto na Resolução TSE 23.282 de 2010 que disciplina a o processo de criação de partidos políticos. No artigo 13, parágrafo único, a Resolução determina que as certidões a serem emitidas pelos cartórios eleitorais deverão conter "o número de eleitores que apoiaram o partido político em formação até a data de sua expedição, certificado pelo chefe de cartório da respectiva zona eleitoral, com base nas listas ou formulários conferidos ou publicados na forma prevista, respectivamente, nos §2o e § 3o do art. 11 desta Resolução". O parágrafo 3º do artigo 11 diz que "No caso de dúvida acerca da autenticidade das assinaturas ou da sua correspondência com os números dos títulos eleitorais informados, o chefe de cartório determinará diligência para sua regularização”. Essa diligência é a publicação via edital.

VALMIR DA INTEGRAL: SAÚDE AOS CACOS!

PARAUAPEBAS, A CIDADE MAIS RICA DO PARÁ, DEIXA FALTAR ÓLEO DIESEL PARA GERADOR DE ENERGIA DO ÚNICO HOSPITAL PÚBLICO DA CIDADE.
AS CENTENAS MILHÕES DE REAIS QUE VALMIR DA INTEGRAL JÁ GASTOU DOS COFRES DE PARAUAPEBAS NÃO FORAM O SUFICIENTE PARA EVITAR A FALTA DE ENERGIA NO HOSPITAL, POIS NÃO TINHA COMBUSTÍVEL PARA O GERADOR, PACIENTES FICARAM NO ESCURO.
VALMIR DA INTEGRAL E RÔMULO: LAVANDERIA TEM,
MAS COMBUSTÍVEL PARA O GERADOR FALTOU.
Ontem, dia 27.08.2013, o Hospital Municipal de Parauapebas ficou às escuras, por cerca de uma hora e meia, aproximadamente às 21:30.

A justificativa para a escuridão foi que faltou energia e não havia combustível para alimentar o grupo gerador. Isso mesmo, faltou alguns litros de combustível para alimentar o gerador do único hospital público.

Imagine alguém necessitando de serviços urgentes e ficar numa situação dessas?

Falta de recursos não o é, com tudo se gasta, o Sol do Carajás inclusive pergunta por que não pediram um pouco de dinheiro a PROLABOR? Quem sabe a respeitada empresa pudesse comprar um pouco de combustível para abastecer o grupo gerador do único hospital público de Parauapebas.

MÉDICOS BRASILEIROS ENVERGONHAM O PAÍS E TEMEM COMPETÊNCIA DOS CUBANOS

Envergonhando o país

Cubanos

A foto diz tudo.

Molecagem, falta de respeito ao próximo, gestos de extrema selvageria.

O negro, impassível diante da agressão, é um médico cubano desembarcando em Salvador, alvo de ataques gratuitos, e planajados, de médicos brasileiros que os enxotavam, no terminal de desembarque, com gritos, cartazes e palavrões.

Observem atentamente a imagem.

Reflitam sobre a dimensão disso!

A que ponto uma classe se expõe para defender, exclusivamente, o interesse de seus bolsos, ignorando a necessidade do país tomar decisões para disponibilizar atendimento nos centros de saúde que eles, os manifestantes “brancos”, se negam a fazer.

Os macacos de auditórios, agora, em pleno picadeiro de circo.


Fonte: Hiroshi Bogea

BRUNO SOARES É DESTAQUE NA SESSÃO DA CÂMARA

" ...os 14 vereadores devem tomar providências sobre todas as denúncias que atingem várias secretarias do governo Valmir da Integral, uma CPI é inevitável..."

BRUNO SOARES

Na sessão semanal da câmara municipal de Parauapebas, realizada ontem, dia 27.08.2013, o destaque ficou por conta da atuação do BRUNO SOARES, que mais uma vez conclamou os vereadores e a comunidade a tomarem providências para que tudo que vem sendo noticiado sobre o executivo municipal seja investigado.

São denúncias graves que envolvem boa parte do governo VALMIR DA INTEGRAL, abrangendo secretarias como SEMOB, SEMEL, SEMED, SEMSA, SEMAD... exigindo uma postura da câmara municipal mais efetiva, já que a FISCALIZAÇÃO do poder executivo é um dever dos "representantes do povo", como gosta de ressaltar o nobre vereador ODILON.

O descompasso no que os vereadores, na sua maioria, andam votando e o que a população deseja é muito grande, basta ver que na sessão ordinária o vereador BRUNO SOARES apresentou uma indicação, em pareceria com a vereadora ELIENE SOARES, propondo a legalização dos serviços de "TÁXI-LOTAÇÃO". A proposta teve a participação de 25.748 internautas, sendo que 92% foram a favor e somente 5% foram contra a regularização do serviço, mesmo assim a base do governo VALMIR DA INTEGRAL votou contra.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

COUTINHO FORA DO PT


Esse Blog recebeu informações de que José das Dores couto -o Coutinho -candidato a Prefeito de Parauapebas nas eleições 2012 estaria deixando a legenda do Partido dos Trabalhadores ainda essa semana. Segundo a informação o mesmo estaria descontente com os rumos que o partido estaria tomando frente a conjuntura municipal.

Vale ressaltar que o Coutinho obteve quase 30 mil votos logo na primeira vez que disputou uma eleição. 33% dos votos em uma eleição disputadíssima como foi a de 2012 é muito mais que qualquer novato poderia imaginar mesmo com o suposto apoio da máquina. 

Se essa informação se confirmar será um grande prejuízo para o PT, pois o Coutinho é herdeiro de um grande capital político construído ao longo de sua militância em Parauapebas e reforçado na sua passagem como Chefe de Gabinete e como Secretário de Obras. Hoje até os adversários reconhecem que o Couto foi o Secretário de Obras mais dinâmico de Parauapebas.

Vamos apurar os fatos e os motivos da sua saída do PT para manter os nossos leitores informados.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Rede Sustentabilidade dá entrada em pedido de registro do partido no TSE

Foto: Leo Cabral
Na manhã desta segunda-feira, a Rede Sustentabilidade deu entrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o pedido oficial de registro do partido. A solicitação foi feita com cópias das certidões validam 304 mil fichas de apoio e com os protocolos de outras 220 mil assinaturas que ainda não foram certificadas devido à lentidão dos cartórios eleitorais. Os documentos foram levados dentro de sacolas ao TSE.

A ex-senadora Marina Silva participou da entrega do pedido acompanhada dos advogados, assessores e simpatizantes da #rede, além dos deputados federais Domingos Dutra (PT-MA) e Walter Feldman (PSDB-SP) e do senador Pedro Simon (PMDB-RS). Também estavam presentes membros da executiva provisória: Bazileu Alves Margarido, Pedro Ivo e Marcela Moraes, que coordenou o processo de coleta.
Em coletiva de imprensa realizada após o protocolamento, Marina Silva disse aos jornalistas presentes que confia nos órgãos responsáveis por homologar a criação do partido. “Esperamos que a gente possa ter o registro da Rede Sustentabilidade, que é uma expectativa de milhares e milhares de pessoas em todo o país”.
Ela falou também sobre o processo de coleta, triagem e encaminhamento das fichas aos cartórios eleitorais. “Fizemos um trabalho idôneo com a mobilização voluntária de milhares de pessoas em todo o país, um trabalho árduo de avaliação dessas fichas. A própria Rede Sustentabilidade deixou de encaminhar mais de 200 mil assinaturas exatamente para evitar que houvesse um trabalho desnecessário por parte dos cartórios com fichas que faltavam documentação ou que não havia a possibilidade de fazer a identificação por que a pessoa havia assinado o nome de casada, enquanto que no título constava o nome de solteira, por exemplo”. 

Além dos atrasos, problemas nos procedimentos para conferência das assinaturas de apoio vêm dificultando o processo de registro da Rede Sustentabilidade. Levantamento feito pela #rede a partir do retorno recebido dos cartórios aponta que os motivos para invalidação foram variados e vão desde a falta de parâmetros para a comparação dos dados, quando o cartório não encontra a assinatura do eleitor por não ter votado nas últimas eleições, até casos de assinaturas que não conferem. Das 96 mil fichas invalidadas, a maior parte delas – 73.130 mil - não tiveram o motivo da recusa especificado. Na maioria dos casos, os cartórios emitem certidões que atestam apenas o número de assinaturas homologadas e não o número de assinaturas recebidas, não homologadas e os motivos pelos quais isso ocorreu.

GOVERNO VALMIR DESISTIU DE BLOQUEAR O ACESSO ÀS REDES SOCIAIS


O governo VALMIR DA INTEGRAL quer e tenta censurar, mas viu que é uma luta inglória, uma estupidez. Em tempos de internet e a liberdade é a regra.

A informação que chega é que o acesso ao FACEBOOK no Centro Universitário voltou ao normal.

sábado, 24 de agosto de 2013

CARAJÁS, MAIS 40 ANOS E RESTARÁ O BURACO!

A nova frente de produção da Vale em Carajás

Carajás é da China 

Ficou evidente o interesse da Vale em agradar aos seus grandes clientes chineses, japoneses e de outros países, sem os quais sua grandiosidade estaria comprometida
Lúcio Flávio Pinto,
A nova frente de produção que a Vale está abrindo em Carajás, no Estado do Pará, é superlativa. Trata-se do maior investimento as mineradora em toda a sua história, de 70 anos. Quando os 19,7 bilhões de dólares (em torno de 40 bilhões de reais) tiverem sido inteiramente aplicados, a mina de Serra Sul estará em condições de acrescentar 90 milhões de toneladas anuais à produção da ex-estatal. Com duas outras expansões na área, a província mineral de Carajás passará de 120 milhões para 250 milhões de toneladas por ano de minério de ferro.
Isso acontecerá em 2017, quando o Pará passará à frente de Minas Gerais como a maior fonte de minério de ferro da antiga Companhia Vale do Rio Doce. Será mais do que a relação de 250 milhões para 200 milhões de toneladas de produção entre os dois principais Estados mineradores do Brasil.
O minério de Carajás é mais rico e mais fácil de extrair. Com a exaustão de algumas jazidas de Minas, a Vale terá que se aventurar no seu Estado de origem pelo itabirito, minério mais duro e pobre, para manter a escala de produção.
A diferença mais importante, porém, é o destino da produção. Carajás consolidará a posição da Vale de maior vendedora interoceânica de minério de ferro do mundo. Seu minério, com teor de hematita superior a 66%, tem mercado garantido no exterior, enquanto o produto de Minas será cada vez mais destinado a abastecer o mercado nacional. Carajás será a principal mina de atendimento internacional que existe.
Daí a dimensão extraordinária do projeto de expansão. Enquanto a primeira jazida levou alguns anos para chegar ao seu tamanho de projeto, de 25 milhões de toneladas, S11D dará partida já com 90 milhões de toneladas na bitola.
A partir do início das obras de terraplenagem, que aconteceu no começo drdtr mês, essa meta será atingida em apenas quatro anos, graças às inovações e à diretriz de investir maciçamente no empreendimento, 30% maior do que o custo da polêmica hidrelétrica de Belo Monte.
O mundo tem pressa de se servir de um minério rico, fácil de extrair e de custo proporcionalmente inferior ao de qualquer outra mina das mesmas dimensões, em valores absolutos, embora sem o mesmo teor. Por isso, imune – ou, pelo menos, bem protegido em relação – às flutuações previstas para o setor pelos próximos anos. Uma fonte cativa para os grandes consumidores de minério, sobretudo as siderúrgicas asiáticas, à frente a China.
Mas isso interessa realmente ao Pará e ao Brasil? Numa entrevista que deu ao Valor, o geólogo Breno Augusto dos Santos, o primeiro a identificar o minério de ferro de Carajás, em 31 de julho de 1967 (cujos 46 anos da descoberta motivaram o interesse do jornal paulista), observou: “Se Carajás fosse na China, na Coréia ou na Alemanha, de lá estariam saindo automóveis, locomotivas ou computadores”. E logo acrescentou: “Mas essa não é uma função da Vale”.
Não é mesmo? Este é o aspecto chave da questão. A Vale se livra das responsabilidades pela exploração de minério bruto alegando ser apenas uma mineradora. Outras empresas deviam cuidar do beneficiamento. E o governo, principalmente, devia exercer o seu papel de fomentador desses investimentos.
A empresa não tem culpa se as outras partes não fazem o que lhes cabe. Daí a inexpressividade dos rendimentos que uma atividade de tão grande porte proporciona ao Pará. O Estado não tem agregação de valor à sua riqueza natural e ainda é privado da receita tributária que essa atividade devia lhe oferecer, por causa da imunidade conferida às matérias primas e produtos semiacabados pela nefanda “lei Kandir”, de autoria do então deputado e economista de São Paulo, que lhe emprestou o nome.
Não é bem assim. O Programa Grande Carajás foi induzido pela então estatal CVRD durante o início do governo Figueiredo, o último do regime militar, a partir de 1980. Interessava à empresa ter um prospecto de aproveitamento econômico mais amplo, que valorizasse e legitimasse a concessão federal dada à ferrovia de Carajás.
Fazendo uma análise retrospectiva do “Carajazão”, delegado a um conselho interministerial, diretamente subordinado à presidência da república, pode-se chegar à conclusão de que foi um foguetório de ilusão, uma espécie de para-raios e habeas corpus a um projeto de mera extração mineral. Um boi atirado às piranhas para permitir a passagem da boiada de minério.
Mesmo com a Vale estatal já era difícil ao governo exercer controle sobre os impulsos da empresa e a teia dos seus interesses internacionais, criados, confirmados e cultivados por seus agentes, uma autêntica tecnoburocracia cosmopolita (cujo modelo é Eliezer Batista, o pai de Eike). Essa lacuna se acentuou com a privatização. Tornou-se mais nítida a distinção entre os negócios feitos pela empresa no exterior e os interesses nacionais. Mais do que distinção, o antagonismo.
Ficou evidente o interesse da Vale em agradar aos seus grandes clientes chineses, japoneses e de outros países, sem os quais sua grandiosidade estaria comprometida. A empresa passou a atuar como viabilizadora desses interesses na medida em que se restringia à extração mineral em escala crescente para a exportação.
Adaptando a frase de Breno, pode-se dizer que nenhum governo na China, Coréia e Alemanha permitiria que uma empresa de mineração crescesse de forma a exercer controle total sobre o circuito da extração, transporte e exportação de matéria prima bruta, como faz a Vale no Brasil.
É por isso que sua parte de logística cresceram para dar suporte à sua atividade de mineradora. Ela se agigantou ainda mais, num esquema que tem proporcionado mais divisas ao país, como nunca, mas à custa da exaustão de uma riqueza natural não renovável, como o minério de ferro.
Tente-se calcular quanto o Brasil perdeu por não ter feito o beneficiamento do minério de ferro de Carajás. Um cálculo simples levará a muitos bilhões de dólares em quase 30 anos de extração maciça de minério bruto, que, no caso, é quase sinônimo de minério puro, tal a riqueza de hematita contida na rocha de Carajás.
Para se ter uma ideia da grandeza do novo capítulo que se inicia em Carajás, basta considerar que a Serra Sul possui 10 bilhões dos 18 bilhões de toneladas estimados de reserva, com teor médio de 66,5% de ferro. O primeiro corpo a ser lavrado nessa mineração, que leva a letra D do título do projeto, acumula 4,2 bilhões de toneladas, com nove quilômetros de extensão, a uma profundidade de até 250 metros.
Ao ritmo previsto, a jazida terá 40 anos de vida útil. Ao fim desse período, a maior mina de ferro do planeta será só lembrança – amarga e frustrante por certo, para os nativos. Chegará ao fim sem motivar qualquer reação dos paraenses, que veem o buraco ser aberto sem usufruir o melhor que o minério lhes poderia dar.

FONTE: BLOG DO LUIZ NASSIF

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

PARAUAPEBAS: PREFEITO TEM MEDO DE SER ALVO DA MANIFESTAÇÃO DE 07 DE SETEMBRO E MANDA BLOQUEAR FACEBOOK NOS COMPUTADORES DO CENTRO UNIVERSITÁRIO - CEUP

VOCÊ JÁ IMAGINOU UM CENTRO UNIVERSITÁRIO ONDE OS ESTUDANTES NÃO TERÃO ACESSO AO FACEBOOK? VOCÊ DEVE TER PENSADO NA CHINA, NO IRÃ, NA CORÉIA DO NORTE, NUMA DITADURA ÁRABE QUALQUER, MAS NÃO, É AQUI MESMO, EM PARAUAPEBAS, NOS TEMPOS DO VELHOTE.

AGORA A VÍTIMA DO SEU "CALOTE" É A DEMOCRACIA E A LIBERDADE! 

PREFEITO "INAPTO", SEM RUMO, QUER BLOQUEAR
FACEBOOK, ATÉ NA UNIVERSIDADE!

O PREFEITO NÃO SABE QUE O PROBLEMA DELE E DO SEU DESGOVERNO NÃO É O BLOG SOL DO CARAJÁS, MUITO MENOS OS ESTUDANTES DE PARAUAPEBAS ACESSAREM LIVREMENTE O FACEBOOK, O PROBLEMA É A FALTA DE CAPACIDADE PARA GOVERNAR PARAUAPEBAS. 


MEDO DE MANIFESTAÇÕES EM 07 DE SETEMBRO, INCLUSIVE COM PEDIDO DE "IMPEACHMENT", FAZ GOVERNO DE PARAUAPEBAS, CHEFIADO POR VALMIR DA INTEGRAL, BLOQUEAR FACEBOOK DE ESTUDANTES!

A ORDEM É BLOQUEAR ACESSO AO FACEBOOK NO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE PARAUAPEBAS - CEUP.

MAIS UMA SANDICE DO PREFEITO DE PARAUAPEBAS! O HOMEM PERDEU COMPLETAMENTE QUALQUER SENSO, PRINCIPALMENTE O DEMOCRÁTICO, SE É QUE UM DIA TEVE, AGORA QUER CENSURAR A TODOS!

VEJA E-MAIL QUE ACABO DE RECEBER (MANTIDO ANONIMATO DO ESTUDANTE):
____________________________

Boa noite Lindolfo, pode até parecer um pedido estranho, sem noção, mas gostaria que vc publicasse em seu blog que a PMP através da SEMED, como ordem da SEMAD, bloqueou o acesso às rede social FACEBOOK. Não sei se com a proximidade com o dia 07/09 onde se terá a maior manifestação popular no país e certamente em Parauapebas, pedindo o impeachment do Velhote, impedindo das pessoas se comunicarem para poderem aderir ao movimento ou porque para não ter mais divulgação de informação da PMP e da CMP por lá, mas o fato é que isso vem prejudicando os alunos universitários que além de manterem seus contatos de amizades, mantém contatos com professores, empresas atrás de novos talentos ou então aumentando a network (rede de relacionamento influente de trabalho). Pode até parecer bobabem, mas o FB ajudou bastante o contato entre as pessoas e certamente o bloqueio por parte da administração atual nas dependências do CEUP irá prejudicar não somente os alunos como também os professores. Uma coisa bloquear no local de trabalho que eu apoio, outra é bloquear em local de estudo onde sou totalmente contra!

__________________________________

NEM AS DITADURAS ÁRABES TEM CHEFE DE GOVERNO TÃO "DESTABANADO"!

LEITOR DENUNCIA: FACULDADE ANUNCIADA POR CÉLIO COSTA É UM PRESENTE DE GREGO

PELO JEITO CÉLIO COSTA NÃO GOSTA MESMO DE PARAUAPEBAS E NEM DOS SEUS HABITANTES, PRINCIPALMENTE DOS JOVENS, DEPOIS DE GASTAR R$ 44 MILHÕES, RECURSOS QUE DARIAM PARA INICIAR UM BOM CENTRO UNIVERSITÁRIO NA CIDADE, O RAPAZ AGORA QUER TRAZER UM CURSO DE MEDICINA PARA A NOSSA CIDADE. VEJA SÓ!

E o prefeito VALMIR DA INTEGRAL colocaria seu filho pra cursar
medicina na faculdade que Célio Costa quer trazer para Parauapebas?


ESTUDANTE DE MEDICINA, QUE ESTUDOU EM FACULDADE QUE CÉLIO COSTA QUER TRAZER AO MUNICÍPIO DE PARAUAPEBAS, LUTA PARA TER DIREITO AO DIPLOMA!

OBSERVE QUE A DECISÃO É DE 2013, TRATA-SE DE MANDADO DE SEGURANÇA, ONDE O FORMANDO VIVE UM VERDADEIRO MARTÍRIO PARA TER SEU DIPLOMA, PELO JEITO NÃO CONSEGUIU E NEM CONSEGUIRÁ!

VEJA A DECISÃO JUDICIAL, LEIA ATENTAMENTE!

_________________________________________________________

DECISÃO

O impetrante agravou da decisão indeferitória de liminar no Mandado de Segurança nº 0000231-09.2013.4.01.4300 (1ª Vara/TO) impetrado para obter seu registro profissional como médico.

Disse "que a Declaração de Conclusão de Curso expedida pelo ITPAC PORTO NACIONAL -INSTITUTO TOCANTINENSE PRESIDENTE ANTONIO CARLOS PORTO Ltda., legalmente constituída com o nome IES FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS - FAPAC, e com Ato Regulatório CREDENCIADA junto ao MEC desde 05/09/2008 (Doc. VIII e Doc. IX), é documento hábil a permitir a inscrição do impetrante no CRM/TO, por configurar situação legítima e oficial" (fl. 9).

FUNDAMENTOS DO JULGADO

A decisão recorrida denegou a liminar sob o fundamento de que o impetrante concluiu o curso em instituição de ensino superior sem autorização de funcionamento pelo Ministério da Educação (fls. 34-5):

O impetrante concluiu o Curso de Medicina no Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos Porto Ltda. - ITPAC, a respeito do qual não se pode afirmar que o certificado tenha sido emitido por universidade em situação "regular".

É fato público que o ITPAC de Porto Nacional/TO não possuía autorização do MEC para funcionamento e nem reconhecimento dos cursos, motivo pelo qual foi objeto de Termo de Acordo de Cooperação Técnica celebrado entre o Sistema Nacional de Ensino, o Estado do Tocantins e o Ministério Público Federal, buscando a renovação, junto ao Sistema Federal, dos atos regulatórios praticados no âmbito do Sistema Estadual em face das Instituições de ensino superior mantidas pela iniciativa privada. E ainda não se sabe se possui, fato que somente poderá ser afirmado pelo próprio Ministério da Educação, quando oportunizado a se pronunciar por meio do registro do diploma dos alunos.

Observa-se, assim, que a exigência do diploma pelo Conselho Regional de Medicina não é mera burocracia ou excesso de formalismo. Além de ser ato decorrente de expressa exigência legal, é também a única forma de controle da regularidade do funcionamento do curso de medicina e da declaração de habilitação técnica do postulante ao registro, pois não compete ao Conselho fiscalizar a regularidade dos cursos nas faculdades. Tal exigência é, em última análise, forma de garantia da segurança da população.

Em caso idêntico, no Agravo de Instrumento nº 2006.01.00.020086-1-MG, r. Des Federal Luciano Tolentino Amaral, 7ª Turma, este Tribunal decidiu que:

Ocorre que o Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos Ltda. - ITPAC, no qual o impetrante se graduou, teve seu curso de medicina reconhecido e autorizado tão-somente pelo Governo do Estado do Tocantins (Decreto Estadual n. 2.186, de 02/09/2004). Não possui, entretanto, autorização do Ministério da Educação - MEC, nos termos do Decreto n. 3.860, de 9 JUL 2001, vigente à época:

"Art. 13. A criação de cursos superiores em instituições credenciadas como faculdades integradas, faculdades de tecnologia, faculdades, institutos superiores ou escolas superiores depende de prévia autorização do Poder Executivo".

A anterior inscrição nos quadros do CRM/GO não implica automática inscrição no CRM/MG. A negativa do CRM/MG, em princípio, encontra amparo no art. 5º do Decreto n. 44.045/58:

"Art. 5º - O pedido de inscrição do médico será denegado quando:

a) o Conselho Regional de Medicina ou, em caso de recurso, o Conselho Federal de Medicina não julgarem hábil ou considerarem insuficiente o diploma apresentado pelo requerente;

(...)"

O documento de fls. 61-4 juntado pelo agravante não prova a regularidade do curso superior. Como mencionado no precedente, dele consta apenas o credenciamento por Decreto do Governado do Estado do Tocantins.

DISPOSITIVO

Nego seguimento ao agravo (CPC, art. 527/I: recurso manifestamente improcedente).

Brasília-DF, 22.02. 2013
____________________________________________________


CÉLIO COSTA GASTOU R$ 44 MILHÕES

CÉLIO COSTA NÃO É SECRETÁRIO DE OBRAS, OU DE SAÚDE, OU DE EDUCAÇÃO... É SECRETÁRIO DE PLANEJAMENTO, ISSO MESMO, DE PLANEJAMENTO. 

JÁ FORAM GASTOS R$ 44.881.264,32 (QUARENTA E QUATRO MILHÕES...), JOGADOS FORA, SÓ ATÉ O COMEÇO DE AGOSTO

SOMANDO TODOS OS SECRETÁRIOS DE PLANEJAMENTO QUE PARAUAPEBAS JÁ TEVE, NOS SEUS 25 ANOS DE EMANCIPAÇÃO, TODOS JUNTOS NEM CHEGARAM PERTO DE GASTAR ESSA QUANTIA.

ESSA NOVA SUMIDADE, OU SUMIDOURO DE RECURSOS, FOI INAUGURADA POR CÉLIO COSTA, PARAUAPEBAS NUNCA VIU TANTO DESPERDÍCIO DE "TALENTO"!

Em amarelo tudo que ele poderá gastar nesse ano,
são mais de R$ 52 milhões. O rapaz sabe gastar,
já torrou mais R$ 44 milhões! 

O SECRETÁRIO DE PLANEJAMENTO DO VALMIR DA INTEGRAL JÁ CUSTOU AO MUNICÍPIO DE PARAUAPEBAS MAIS DE R$ 44 MILHÕES!

MAS ACREDITE, ELE AINDA IRÁ FAZER MUITA COISA... GASTARÁ OS CERCA DE R$ 8 MILHÕES QUE RESTAM! ESSE É O PREÇO QUE O CIDADÃO DE PARAUAPEBAS PAGA POR UM GOVERNO TÃO DESTRAMBELHADO. 

NO COMEÇO DO PLANEJAMENTO DO TOCANTINENSE, ELE ANUNCIOU CORTE LINEAR NAS DESPESAS DE 35%. MAS, PORÉM, CONTUDO E TODAVIA... O HOMEM MUDOU DE IDÉIA, NORMAL, O RAPAZ É UM HOMEM DE MUITAS IDÉIAS...

E O MINISTÉRIO PÚBLICO, SABERÁ PARA ONDE FOI TANTO DINHEIRO? 

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

O MINISTÉRIO PÚBLICO NÃO DIZ ONDE FOI PARAR O DINHEIRO DO POVO DE PARAUAPEBAS. VALMIR E CÉLIO COSTA ARROMBAM OS COFRES DO MUNICÍPIO!

CÉLIO COSTA, O ERRANTE, E VALMIR O "TRESLOUCADO", QUE NEM CHAMOU UMA IMPORTANTE AUTORIDADE LOCAL, ARROMBAM OS COFRES DE PARAUAPEBAS E NINGUÉM FAZ NADA! CADÊ O MINISTÉRIO PÚBLICO!

VEJA OS GRÁFICOS ABAIXO E CONSTATE QUE A SECRETARIA DE PLANEJAMENTO É A QUE MAIS GASTOU, PROPORCIONALMENTE. SÃO DEZENAS DE R$ MILHÕES QUE CÉLIO COSTA TORROU, JOGOU FORA. 

VALMIR E CÉLIO COSTA ANUNCIARAM CORTES DE 35% NAS DESPESAS MUNICIPAIS, LEMBRAM?

VEJA E CONSTATE ESSE VERDADEIRO "ESTELIONATO ADMINISTRATIVO" QUE PARAUAPEBAS VIVE NO GOVERNO ATUAL!