terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

O Pará é quem mais contribui para a mineração e para a VALE, mas o setor fecha postos de trabalhos no estado

A VALE "bamburra" todos os dias no Pará, mas fecha postos de trabalhos

Enquanto fecha postos de trabalho no Pará, a mineração tem saldo de 1.552 empregos em Minas Gerais





A VALE comemora com altos lucros

Minas Gerais e Pará são os principais empregadores no setor mineral, na extração de ferro é onde se concentra  mais da metade dos postos de trabalho.

O ano de 2017 foi um ano muito bom para o setor extrativo mineral, bom para as empresas, claro.

Um ano excelente para a mineradora VALE, a exploradora teve altos lucros.

Preço nas alturas

Os preços tiveram aumentos significativos em 2017, principalmente o minério de ferro, a cotação alcançou US$ 90,00/t em fevereiro.

No primeiro semestre de 2017, comparando com mesmo período de 2016, o preço do minério de ferro teve um crescimento médio de 43%. Com o cenário favorável, o ferro passa a ter 68% de participação nas exportações minerais brasileiras, enchendo os cofres da mineradora Vale de bilhões de dólares. No mesmo período de 2016, o minério de ferro respondia por 55,3% das exportações do setor.

Domínio da China

A China é o principal mercado para as exportações do minério brasileiro, com 41.8% de participação total, seguida de longe pelo Japão, que vem em segundo lugar, com apenas 5.9%.

A mineração fecha postos de trabalho no Pará

O principal produto do setor é o minério de ferro, quem mais produz é Parauapebas e Canaã dos Carajás, cidades paraenses, mas para a VALE isso não importa muito, ela quer apenas explorar, lucrar e depois irá embora, deixando um rastro de destruição e desorganização social.

Acredite, mesmo com todo esse cenário paradisíaco, a mineradora VALE presenteia o Pará com desemprego. O saldo de postos de trabalho foi negativo para o período em 177 vagas.

Veja os números

No primeiro semestre de 2017, quando a Vale mais ganhou e lucrou, o Pará teve uma queda na geração de empregos no setor mineral de 0,9%.

A VALE é a mãe de Minas Gerais e a madrasta do Pará

Enquanto no Pará a Vale (o setor mineral) fecha postos de trabalho, gerando desemprego, em Minas Gerais o  saldo de mão de obra da mineração no primeiro semestre de 2017 foi positivo, principalmente na extração de ferro, com 1492 novos postos de trabalho.

________________________________________________
Obs: Todos os dados são oficiais e publicados pela Agência Nacional de Mineração e CAGED (www.anm.gov.br)

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Pará: O Ibope desanimou os aliados de Jatene



De novo


O ex-governador Almir Gabriel (in memorian) nunca esqueceu o "drible da vaca" que sofreu do seu pupilo preferido, Simão Jatene, no caso mais asqueroso de traição política da história do Pará, quando tentou retornar ao governo do estado, com apoio do "muy amigo" Jatene, Almir Gabriel foi abandonado à própria sorte, a traição lhe deixou marcas mais profundas que a derrota sofrida.

Almir Gabriel nunca mais conseguiu se recuperar da traição sofrida. Jatene tenta aplicar o mesmo golpe nos seus aliados, fazendo de conta que apóia uma certa candidatura, mas na verdade não está nem aí.

O que importa

O Jatene acha que seus aliados não perceberam, mas eles estão de olhos bem abertos e já sabem que o governador só importa com a sua própria eleição ao senado e a da sua filha para a Câmara dos deputados.

Debandada

Na verdade, a base aliada de Jatene já deu sinais claros que irá debandar, o governador que se cuide, apesar de ser duas vagas para o senado, a coisa não está tão tranquila para a sua candidatura, ele pode ter surpresas desagradáveis.

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

PARÁ: Pesquisa IBOPE aponta Helder Barbalho (PMDB) e Paulo Rocha (PT) no segundo turno no Pará





Resultado

O IBOPE divulgou uma pesquisa para o governo do estado do Pará. 

O resultado não podia ser melhor para o ministro Helder Barbalho (PMDB), segundo os números do IBOPE ele venceria com folga o primeiro turno, alcançando 36% dos votos, no cenário mais provável.

O senador Paulo Rocha vem em segundo lugar com 17% e em terceiro lugar a pré-candidata Ursula Vidal com 8%.

Apoio de Jatene 

Os números são decepcionantes para o Jatene, o pré-candidato Márcio Miranda, o escolhido pelo atual governador do Pará para disputar a chefia do executivo, fica com apenas 6% dos votos.

Embora ainda seja cedo, o fato é que o resultado não podia ser pior, os números são pífios, mostrando que não se trata apenas do candidato ser pouco conhecido do eleitor, mas de que há uma rejeição crescente a qualquer nome vinculado ao governador Jatene.

Para presidente

O favorito para presidente, imbatível é LULA, alcançando 43%. 

Dados do registro da pesquisa

A pesquisa IBOPE contratada pela Federação da Agricultura e Pecuária do Pará, teve registro no TRE-PA sob o número de identificação: PA-07845/2018.

A margem de erro é de 3%, foram entrevistados 812  eleitores para o governo e senado do Pará, no período de 03 a 09/02/2018.

Leia mais AQUI - clique DOL

MARABÁ: Prefeito TIÃO MIRANDA demora a agir e oferece abrigos precários aos atingidos pelas enchentes

Ao invés de amparo, Tião Miranda oferece mais sofrimento e coloca as famílias vítimas das enchentes em abrigos precários 



Desamparados

Enquanto em Parauapebas a prefeitura age rápido, abriga e anuncia lotes urbanizados para as vítimas das enchentes, em Marabá o prefeito Tião Miranda jogas as famílias à própria sorte, colocando mais de 700 pessoas em abrigos sem qualquer amparo.

Escaparam das enchentes

Não bastasse, o maior abrigo não conteve a chuva que caiu em Marabá, trazendo ainda mais transtornos para as famílias desamparadas.

As pessoas estão conseguindo escapar das enchentes em Marabá, mas escapar do desrespeito que sofrem por parte da prefeitura do município está sendo o mais difícil.

Em protesto pelo descaso, os desabrigados fizeram duas grandes manifestações  contra o governo local.

Descaso

Sem aterro, sem banheiros e sem cobertura, os abrigos oferecidos por Tião Miranda aumentaram o sofrimento das famílias vítimas das enchentes em Marabá.

O prefeito só começou a agir com a devida responsabilidade após a ocorrência das manifestações contra o governo de Marabá.

IBOPE e FAEPA escondem pesquisa eleitoral realizada no Pará

IBOPE apontaria inviabilidade de JATENE e aliados nas eleições de 2018 no Pará



Desanimados

Uma pesquisa Ibope foi registrada no TRE e tinha data certa pra divulgação, era ontem (15), mas os números caíram que nem um raio na base aliada do governo JATENE, estão em estado de choque, ficaram tão desanimados que ainda não publicaram os resultados.

O tucanistão foi depenado

O que se comenta nos bastidores é que os candidatos de Jatene perdem pra margem de erro, os números da pesquisa foram avassaladores para o tucanistão paraense.

Objetivo

O objetivo da pesquisa era testar os nomes dos candidatos da base aliada do governador Jatene que tivessem mais aceitação, ou seja, quem iria continuar o desastroso tucanistão paraense, foram apresentados os nomes de Zenaldo Coutinho, Márcio Miranda, Sidney Rosa, Flexa Ribeiro e Manoel Pioneiro. 

Deu errado, nem querem divulgar o resultado.

Esfumaçou

Não tem mais fogo, no tucanistão paraense tudo se esfumaçou, com os números em mãos ninguém quer ir para o suicídio, todos agora querem disputar uma vaga para o senado, acham que para o governo seriam apenas figurantes, pois a derrota seria certa.

Apenas os que nada tem a perder, aqueles que propriamente são chamados de aventureiros, ainda se prontificam a fazerem o papel de isca na pescaria eleitoral do governo Jatene.

Animados

Quem teve acesso aos dados entendem os motivos para Helder, Paulo Rocha e Ursula Vidal estarem tão felizes, parece que o eleitor só considera pra valer essas 3 pré-candidaturas ao governo do Pará.

Helder, segundo dizem, ficou mais que animado, trabalha com a possibilidade de vitória no 1° turno. 

O senador Paulo Rocha gostou muito, pois nem colocou seu nome pra valer e já ocuparia o 2° lugar. 

Ursula Vidal viria em seguida, com números muito significativos.

Dados da pesquisa que foi escondida

A pesquisa IBOPE contratada pela Federação da Agricultura e Pecuária do Pará, teve registro no TRE-PA sob o número de identificação: PA-07845/2018.

A margem de erro é de 3%, foram entrevistados 812  eleitores, no período de 03 a 09/02/2018.

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

JATENE foge e abandona as vítimas das enchentes nos municípios paraenses

As famílias atingidas pelas enchentes no sul e sudeste do Pará foram abandonadas pelo governo Jatene


Enquanto milhares de famílias vivem o drama das enchentes, o governador do Pará sumiu

Fortes chuvas 

A região sudeste do Pará está sendo castigada por fortes chuvas e tudo indica que em março e abril  os índices pluviométricos ainda serão maiores.

Ausente

O pior é saber que a maior autoridade do estado, o seu governador, não está nem aí para as milhares de famílias que sofrem com as enchentes, principalmente nas cidades de Xinguara, Conceição do Araguaia e Parauapebas. 

O Simão Jatene já abandonou a região faz é tempo, mas as famílias aguardavam ao menos algum manifestação de solidariedade do inepto governador do Pará.

Abandonados

Os prefeito e as populações das cidades de Rio Maria, Conceição do Araguaia, Sapucaia, Eldorado dos Carajás, São Geraldo do Araguaia, Água Azul do Norte, Tucumã, São Félix do Xingu, Cumaru do Norte, Xinguara e Parauapebas foram abandonados à própria sorte, se dependem do governador JATENE podem entregar os pontos, nenhuma ajuda virá.

Ministério da Integração



Atento ao drama provocado pelas enchentes no sul e sudeste do Pará, o ministro Helder Barbalho assume as ações que deveriam ser de responsabilidade do governador Jatene, socorrendo os municípios atingidos pelas enchentes.

Situação de emergência

O ministro Helder reconhece a situação de emergência vivida pelos municípios paraenses e esteve nos locais para constatar os impactos causados pelas chuvas.

Helder colocou o Ministério da Integração em alerta total para socorrer as famílias atingidas pelas enchentes no Pará, cabendo as prefeituras enviarem o mais rápido possível os seus projetos para que o Ministério da Integração agilize a liberação dos recursos.

Castigo

A população que está sofrendo com as enchentes já envia sinais que castigará o JATENE e seus aliados, os números a serem divulgados por uma pesquisa Ibope, ainda hoje, são avassaladores, indicam uma vitória ainda no primeiro turno de Hélder Barbalho e colocam o candidato do governador Jatene em péssima situação, atrás de Paulo Rocha e de Ursula Vidal.

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Prefeito Darci Lermen e Ministro Helder Barbalho coordenam ações em Parauapebas

Prefeitura e Ministério da Integração atuam em conjunto para proteger as famílias atingidas pelas enchentes em Parauapebas


A imagem pode conter: 8 pessoas


Hélder em Parauapebas

O ministro Hélder Barbalho esteve em Parauapebas para ver os impactos das enchentes no município, juntamente com o prefeito municipal, Darci Lermen, Helder anuncia que o Ministério da Integração homologará de imediato o decreto de emergência pública editado pelo governo municipal e agilizará a liberação de recursos federais para proteção das famílias atingidas pelas enchentes em Parauapebas.

O Ministério da Integração é o responsável pelas ações da defesa civil do governo federal.

Ação rápida

Tanto o governo municipal quanto o ministro Hélder Barbalho agem com a urgência que o assunto exige, em Parauapebas, o prefeito DARCI LERMEN já anunciou a entrega de 2 mil lotes para atender as famílias que moram nas áreas de risco, atingidas pelas enchentes.

Sumidos

Enquanto Darci e Hélder agem rápido, ou seja, governo municipal e governo federal empreendem ações efetivas, o sumido JATENE nem aparece em Parauapebas.

Jatene e aliados, no caso de Parauapebas, não trazem alegria e muito menos solidariedade para a nossa população.


Aldo Fornazieri: " O ministro Luiz Fux é um ficha suja"

"O valor do auxílio moradia dos juízes é de R$ 4.377, enquanto 90% dos brasileiros ganham até R$ 3.300 por mês. Esse auxílio, junto com outros penduricalhos, além de uma conduta inescrupulosa, constitui um crime contra toda a sociedade brasileira(...)"




O ministro Luiz Fux é um ficha suja. Não por determinações judiciais, mas o é de fato. A ficha suja de Fux (liminar na Ação Ordinária 1.773), a concessão de benefícios imorais ilegais e inaceitáveis aos juízes na forma inescrupulosa do auxílio moradia importa a saída de cerca de um bilhão de reais por ano dos cofres públicos. Sendo uma forma de salário indireto, uma forma de sonegação fiscal, os juízes deixam de pagar cerca de R$ 360 milhões por ano em imposto de renda por conta da ficha suja de Fux. Tudo somado, são vários bilhões desde 2014. É um assalto.

É bom lembrar: metade dos brasileiros - 100 milhões - vive com a renda de até um salário mínimo mensal. O valor do auxílio moradia dos juízes é de R$ 4.377, enquanto 90% dos brasileiros ganham até R$ 3.300 por mês. Esse auxílio, junto com outros penduricalhos, além de uma conduta inescrupulosa, constitui um crime contra toda a sociedade brasileira. Como ficam os sem teto diante disso? E os que perdem boa parte da renda pagando aluguel?

Se o Brasil tivesse Justiça, Fux deveria ser processado, condenado e preso pelo imenso prejuízo que está causando aos cofres públicos. É espantoso que os deputados da oposição não tenham proposto uma CPI para investigar o auxílio moradia e os outros penduricalhos dos juízes e das demais esferas do poder onde esses privilégios criminosos vicejam. Cada um precisa viver do seu salário, de forma honesta, andar com o seu carro, comprar roupa com o seu dinheiro, como os demais brasileiros vivem. Esses privilégios inescrupulosos clamam por uma revolução democrática para que os guilhotinem.

Alçado à condição de presidente do TSE, Fux, no alto da sua vaidade, da sua prepotência, quer fazer da sua vontade a lei, tal como a fizeram Moro e os três desembargadores do TRF-4 que condenaram Lula sem provas. Ao arrepio dos mecanismos legais, quer declarar Lula inelegível, rasgando as leis e a Constituição, como vêm fazendo vários ministros do STF e o próprio Tribunal enquanto instituição. Assim, a anarquia judicial vai se agravando no país, pois, o Judiciário parcial, partidário e corrupto se desmoralizou e desmoralizou as leis e a Constituição.

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Parauapebas: Governo municipal ampara desabrigados pelas enchentes

Prefeito Darci Lermen decreta situação de emergência no município e anuncia entrega de dois mil lotes urbanizados




Rio Parauapebas subiu mais de 12 metros

Subindo mais de 12 metros, na maior enchente do Rio Parauapebas desde o ano de 2009, cerca de 10 mil pessoas foram atingidas.

Duas mil pessoas atendidas diretamente

A Defesa Civil estima, desde o início das enchentes até o último dia 11, que atendeu duas mil famílias diretamente. A maioria preferiu ser remanejada para casa de amigos e parentes. 

O clima ainda é de alerta total, pois há previsão de 80% de probabilidade de chuva para os próximos dias. A Defesa Civil de Parauapebas está monitorando quase 20 pontos considerados de risco nas zonas urbana e rural.

Situação de emergência

Diante da situação e para agilizar o atendimento às famílias atingidas pelas enchentes, o prefeito DARCI LERMEN agiu rápido e decretou situação de emergência no município.

2 mil lotes urbanizados

O governo Darci Lermen dará início imediato aos processos de desapropriação de propriedades particulares comprovadamente localizadas nas áreas de risco.

Em visita ao abrigo público no sábado, o prefeito Darci Lermen anunciou a entrega de lotes urbanizados no mês de maio, quando Parauapebas completará 30 anos.

Governo Darci Lermen e a preocupação com as famílias atingidas

"Vamos doar mais de dois mil lotes urbanizados para aquelas pessoas que realmente precisam, para as pessoas que moram em áreas de risco. E também destinar uma grande quantidade para aquelas que estão há anos na lista de espera do cadastro da Secretaria de Habitação. Nós queremos resolver essa situação de forma definitiva. Não queremos que essas pessoas continuem vivendo nas áreas de risco, sujeitas a perder tudo ou grande parte daquilo que adquiriram ao longo da vida", ponderou o prefeito.

CAMPANHA SOLIDÁRIA

A Defesa Civil está identificando e cadastrando as famílias que estão desabrigadas, mas que não foram para o abrigo público, com o objetivo de entregar os donativos.

SERVIÇO: As doações podem ser entregues na sede da Defesa Civil, localizada na rua C, 500 – bairro Cidade Nova. Contatos: 199 / 3356-2597 e 99290-5969 (whatsApp).


Fotos: Gilberlan Atrox - Bruno Cecim - Piedade Ferreira
Assessoria de Comunicação - Ascom | PMP

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Segundo a Mídia Livre, o Carnaval na Bahia tá bombando!





Na Bahia

Carnaval na Bahia é assim, o povo diz quem ele quer em 2018.

Os foliões estão com tudo.

Aldo Fornazieri: "Judiciário de moralistas sem moral condenou Lula sem provas"






ALDO FORNAZIERI é Doutor em Ciência Política e Mestre pela USP-SP. Licenciatura em Física, USP. Diretor Acadêmico da Fundação Escola de Sociologia e Política desde 2006. Coautor do Livro “Conversas Políticas”, Editora Civilização Brasileira. Participação com ensaios em outros livros sendo o mais recente “Introdução ao Risco Político”, da Editora Campus.

Ao participar do programa Roda Viva, na TV Cultura, o cientista político desnuda a farsa montada pelos "larappius" do poder judiciário brasileiro contra o presidente LULA.

Condenações sem crimes, sem provas, sem qualquer materialidade, processos forjados para afastar o nome favorito das eleições de 2018, fraudando a vontade popular em favor dos candidatos defendidos pela Rede Globo.

MARABÁ: Perda de recursos para a saúde compromete serviços de cirurgias eletivas no município


Cirurgias eletivas: Saúde de Marabá perde 300 mil




Serviço comprometido

Recentemente muitos marabaenses comemoraram os mutirões para a realização de cirurgias eletivas. E agora o serviço está comprometido, mais uma vez.

Os recursos estavam disponíveis

Em julho do ano passado o Ministério da Saúde destinou o montante de nada menos que 813 mil reais para a realização das cirurgias eletivas nos Hospitais de Média Complexidade da sua rede de saúde, assim sendo, o Hospital Municipal de Marabá (HMM), o Hospital Materno Infantil (HMI) e outros que sejam conveniados para prestar tais serviços. 


Mil cirurgias perdidas



Com esse valor seria possível realizar algo em torno de mil cirurgias. Eis que as cirurgias eletivas voltaram a ser um problema. Em novembro, o município perdeu 300 mil reais, dos 813 mil, ficando apenas 513 mil reais. O motivo? De acordo com a Resolução Nº 122, de 20 de novembro de 2017, da Comissão Intergestores Bipartite do Sistema Único de Saúde do Pará (CIB/SUS/PA), o valor foi reajustado devido à demora na execução dos procedimentos. Provavelmente, por inoperância do governo local e do Departamento de Média e Alta Complexidade do município, chefiado pela enfermeira Darmina Duarte.

Corpo mole

Pelos corredores da SMS e dos hospitais rolam boatos de que houve corpo mole do governo municipal, propositalmente a fim de prejudicar a administração anterior, sendo que prejudicado mesmo ficou os usuários que precisam fazer esse tipo de cirurgia na rede pública de Marabá. 

Questionamentos

A secretaria municipal de saúde não justificou o motivo no atraso das cirurgias eletivas. Nenhuma justificativa plausível. Enquanto isso, a fila continuar a crescer.

A única coisa certa é que já encerraram os tais mutirões e as filas continuam gigantescas. Certamente, estes 300 mil reais “perdidos” dariam pra amenizar a dor e o sofrimento de outras centenas de pacientes.

Perde recursos e a fila cresce

No dia 05 de dezembro, através do site da prefeitura, a assessoria de comunicação informou “Marabá vai realizar 839 cirurgias eletivas até o final do ano”. Pela data e pelos cálculos, faltavam 26 dias para o final do ano. Seria possível cumprir a meta? Vale lembrar que essa fila de espera é de 2012. Na mesma matéria a enfermeira Darmina disse: “Temos uma demanda reprimida de oito mil cirurgias, sendo que tem pacientes no sistema de 2012”.

Como tem uma demanda dessas e perde recursos essenciais para atender a população que necessita dos serviços?


Suspeita de nepotismo em dose tripla

Precisa ser esclarecida pelo Ministério Público de Marabá, sempre muito atuante, as suspeitas de que a chefe do Departamento de Média e Alta Complexidade da rede pública de saúde, Darmina Duarte, é cunhada do  atual secretário, Marcones José Santos, ou seja, esposa do médico Marcos Jová Santos da Silva que é o diretor técnico do HMM.

Salvo entendimento em contrário, a confirmar as informações, temos um caso de nepotismo em dose tripla.

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Criado mais um Comitê em defesa da candidatura LULA

A imagem pode conter: 12 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé


BOTE FÉ

Ontem (7), no gabinete do deputado estadual, DIRCEU TEN CATEN, foi instalado o Comitê Popular “Bote Fé” pela Democracia e em Defesa do Direito de Lula ser Candidato.

Eleição sem LULA é FRAUDE

O PSDB com seus "larappius" que atuam sob as togas do judiciário brasileiro forjaram vários processos contra o presidente LULA, mediante acusações ridículas, realizando julgamentos farsescos e condenando sem provas e sem crimes, apenas buscando fraudar as eleições de 2018.

Reação

O Brasil e o mundo já percebeu que eleição sem LULA é FRAUDE.

Os "larappius" e o PSDB não tem candidato pra disputar contra LULA, sabem que perderão as eleições e buscam ganhar no tapetão.

_______________________________________

O termo "larápio" vem de Lucius Antonius Ruffus Apius, uma espécie de juiz romano. O indivíduo assinava suas sentenças abreviando seu nome "L.A.R APPIUS" gerando a expressão expressão larápio, ou seja, gatuno. Lá na Roma antiga, esse juiz vendia sentenças, igual seus descendentes fazem no Brasil, onde o caso LULA e em tantos outros os "larappius" vendem sentenças em troca de prêmios/propinas da Rede Globo e penduricalhos como o auxílio-moradia.

Partidos se unem para defender a candidatura de Lula

Pela Democracia e pela Soberania!


Reunião na sede do PDT na tarde desta quarta-feira, 7/II,
selou a Frente ampla em defesa da candidatura de Lula
(Reprodução/PT na Câmara)


Os presidentes e líderes de partidos de oposição ao governo de Michel Temer estiveram reunidos na sede nacional do PDT, em Brasília, nesta quarta-feira (7). O objetivo do encontro foi construir unidade nas ações entre as siglas oposicionistas e a sociedade civil organizada. O líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta (PT-RS), anunciou a formação de uma frente ampla em Defesa da Democracia e Soberania no País que visa a unificar as ações de mobilização em defesa da democracia, da soberania nacional e pela garantia dos direitos dos trabalhadores e aposentados.

O líder da Minoria na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), também destacou que o momento é de união das siglas que se opõem às políticas desastrosas implementadas por Temer e seus apoiadores. Guimarães ainda salientou que se travará um embate contra o pacote de privatizações apresentado pelos golpistas, que inclui a venda da Eletrobras entre outras empresas públicas. O parlamentar disse que o direito de Lula ser candidato é outro ponto convergente na criação da Frente. Já a presidenta do PT, Gleisi Hoffmann (PT-PR), defende um país inclusivo e soberano para todos os brasileiros.

Participaram da reunião os líderes do PT no Senado, Lindbergh Farias (PT-RJ), os senadores Humberto Costa (PT-PE), Roberto Requião (MDB-PR) e João Capiberibe (PSB-AP); a presidenta do PCdoB, Luciana Santos (PE), o deputado Odorico Monteiro (PROS-CE), o líder da Minoria no Congresso, Décio Lima (PT-SC), a líder do PCdoB, Alice Portugal (BA), o deputado Ivan Valente (PSOL-SP), e o líder do PDT, André Figueiredo (PDT-CE)

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

O MPT pediu mais de R$ 100 mi em indenizações por trabalho escravo em 2017


O valor se refere a nove ações civis públicas e acordos resultantes da fiscalização do grupo móvel

Brasília - O Ministério Público do Trabalho (MPT) ajuizou, em 2017, 103 ações civis públicas (ACP) e firmou 217 termos de ajustamento de conduta (TAC) envolvendo casos de trabalho escravo. Entre as ações, nove são resultantes da atuação do grupo móvel interinstitucional de fiscalização do trabalho escravo, que levou o MPT a pedir mais de R$ 100,5 milhões em indenizações por dano moral coletivo. Quando atendidos pela Justiça, os valores são revertidos para reparar danos causados à sociedade.

Essa atuação do grupo móvel de trabalho escravo, coordenado pelo Ministério do Trabalho e formado por representantes do MPT e de órgãos, também gerou a assinatura de 45 TACs e o pagamento de mais de R$ 512 mil em verbas rescisórias e dano moral individual, beneficiando 1.534 trabalhadores.

Balanço do MPT mostra ainda que o número de ações sobre trabalho escravo ajuizadas cresceu nos últimos dois anos: em 2016, foram 93 ações, contra 103 em 2017. "Os números expostos demonstram que o MPT continua se esforçando para garantir a manutenção da política pública de combate ao trabalho análogo ao de escravo", afirma o vice-coordenador nacional de Erradicação do Trabalho Escravo (CONAETE), procurador do MPT Ulisses Dias de Carvalho.

Entre as 103 ações, 70 delas (68%) foram relacionadas a trabalho degradante, o que mostra a importância do conceito moderno de "trabalho escravo", mais abrangente, incluindo, por exemplo, escravidão por dívidas e o próprio trabalho degradante. O mesmo pode ser observado em relação aos TACs – dos 217 firmados pelo MPT em 2017, 130 (60%) foram relacionados a trabalho degradante.

Em relação as denúncias, em 2017, o MPT recebeu 1.187 relacionadas a trabalho escravo. Em 2016, o número de denúncias foi de 1.274.

Campanha – Na última semana, foi lembrado o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo no Brasil, em 28 de janeiro, ocasião em que o MPT lançou a campanha nacional "Baseado em Fatos Surreais". A ação conta com mais de 20 peças publicitárias, entre vídeos, spots, anúncios para revistas, outdoors, busdoors e conteúdo direcionado às redes sociais. As imagens são de trabalhadores explorados, em condições degradantes, em todo o país.

Parauapebas: Governo municipal acelera o passo para iniciar as obras de macrodrenagem

Com o financiamento do Banco Mundial em fase final de aprovação, a prefeitura de Parauapebas já planeja iniciar as obras de macrodrenagem




Acertou nas prioridades

O atual governo de Parauapebas acertou quando buscou um financiamento para uma grande intervenção de macrodrenagem na área urbana do município, cerca de 10 km de obras, as enchentes que inundam várias vias dos bairros da cidade mostram o quanto é importante e urgente o inícios dessas obras.

Governo atual quer acelerar obras

O anos de 2017 foi um ano de recuperação financeira e de planejamento de investimentos, com sucesso, a prefeitura já anuncia medidas importantes e deve acelerar o início de várias obras no município, ainda no primeiro semestre de 2018.

Chuvas causam inundações em Parauapebas

É fato, as chuvas desse começo de fevereiro de 2018 foram torrenciais, mas as enchentes e transtornos causados à população se deve em grande parte a falta de planejamento e investimento em macrodrenagem no período de 2013 a 2016. Foram 4 anos de abandono.

Obra foi feita sem planejamento

Muito se gastou entre 2013 e 2016, sem o devido planejamento, as poucos obras já estão com sérios problemas, entre elas a PA-160, na área urbana de Parauapebas, onde as chuvas causaram o aparecimento de verdadeiras crateras no asfalto e  o desmoronamento das valetas de drenagem pluvial.

Veja o vídeo da obra de macrodrenagem que o governo atual de Parauapebas deve iniciar ainda nesse primeiro semestre de 2018


terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

O judiciário brasileiro é "elitista, pervertido e corrompido", como ficou escancarado com a LAVA JATO e seus membros




Cármen Lúcia e o Judiciário não são a Justiça


Cármen Lúcia, presidente do STF, afirmou na semana passada que "o que é inadmissível e inaceitável é desacatar a Justiça, agravá-la ou agredi-la. Justiça individual, fora do direito não é Justiça, senão vingança ou ato de força pessoal". Antes de tudo, é preciso dizer que nem ela, nem o STF, nem os tribunais e nem os juízes são a Justiça. Eles são integrantes de um poder do Estado e, como tal, no sistema republicano e democrático, são passíveis de críticas e precisam responder pelos seus atos perante a nação e perante a opinião pública. A toga não lhes confere poderes divinos ou angelicais. Pelo contrário - com exceções, claro, porque existem bons juízes - o Judiciário brasileiro está mais próximo da encarnação do mal. 

Como se disse, o Judiciário não é a Justiça. A Constituição o define como um dos poderes da União, sendo um de seus atributos e objetivos distribuir a Justiça, algo que o Judiciário não faz bem pela sua incompetência, pela sua parcialidade, pela sua arbitrariedade, pelos seus privilégios e pela sua corrupção. Se há alguém que aplica a Justiça de forma individual, fora do direito, como ato de vontade moral ou imoral, são muitos juízes, como vários juristas vêm denunciando. A caso do julgamento de Lula é emblemático neste sentido. Mas, diariamente, juízes decidem a partir de suas presunções e fora do direito, de forma enviesada, contra os pobres, contra os negros, contra as mulheres, contra os índios e contras várias outras minorias. Se isto não é vingança, é perseguição e é aplicação de força pessoal, respaldada por um Estado injusto. 

PM agride professora em Parauapebas e ameaça popular que tentou filmar as cenas de violência policial

Sinais de agressão 
A Coordenação do SINTEPP em Parauapebas denuncia e repudia a agressão sofrida por uma professora, mas não pense que foi um marginal qualquer, foi uma "guarnição da PM" que atua no município.

Segundo o SINTEPP, alegando desacato,  os policiais, completamente desequilibrados atacaram a professora física e verbalmente, as marcas da covardia ficaram no rosto da vítima da violência dos policias.

A reportagem do G1 (LIBERAL/GLOBO) solicitou informações à Polícia Militar em Parauapebas, que de forma protocolar soltou uma nota ao público dizendo que o caso precisa ser formalizado na corregedoria da própria PM, para que assim seja devidamente investigado.

Direto no MP

Na verdade, a vítima deveria ir direto ao Ministério Público, talvez, quem saiba, o órgão resolva tomar alguma providência.

Segundo a matéria do G1, policial ameaçou quem tentou filmar a agressão

'"De acordo com o Sintepp, a professora relatou que os policiais usaram de força bruta e desproporcional e também utilizaram palavras de baixo calão em excesso na abordagem. Também segundo o relato, a professora tinha pedido para o primo filmar a ação dos policiais, mas um deles teria puxado o celular e feito ameaças: "Tu não quer filmar? Olha aqui o acontece com quem desacata (...), deu uma de rebarbada tá em cana (sic)".

Leia mais no G1 GLOBO

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Parauapebas: Miquinhas (PT) pode assumir uma vaga na Câmara de Vereadores

Segundo o Ministério Público, João do Verdurão e Valmir da Integral devem ficar inelegíveis e Zacarias perder o mandato




Miquinhas (PT) pode assumir a Câmara de Vereadores

O Miquinhas (PT) está com um pé na Câmara de Parauapebas, caso o parecer do Ministério Público seja acatado pela justiça eleitoral.

Miquinhas (PT) obteve 1.842 votos nas eleições de 2016, é o primeiro suplente, seguido por Marcilene Barbosa (PSDB), com 951 votos.

Entenda o caso

O Ministério Público ingressou  com uma Ação de Investigação Judicial  Eleitoral (AIJE) em virtude de abuso do poder político e a prática de condutas vedadas aos agentes públicos no período eleitoral, ainda em 2016, onde o MP constatou o uso de recursos e servidores públicos nas campanhas de Valmir da Integral/João do Verdurão e do vereador Zacarias, emitindo um parecer pela procedência das acusações, em sede de alegações finais.

Os fatos apontados pelo MP consistem na contratação de serviços que não foram prestados, os recursos saíam de uma secretaria do governo Valmir da Integral e entravam nas campanhas dos representados, mediante doações simuladas.


Veja a conclusão do parecer do Ministério Público Eleitoral




Julgamento

Caso seja julgada procedente, conforme o pedido do Ministério Público, João do Verdurão, Valmir da Integral e Zacarias ficarão inelegíveis por 8 anos, a contar das eleições de 2016, sendo que o Zacarias ainda terá seu diploma de vereador cassado.

PARAUAPEBAS: Salários acima do teto dos Procuradores Municipais pressionam contas do governo

Os escandalosos privilégios dos procuradores municipais de Parauapebas 

Câmara e prefeitura devem  abater salário acima do teto 




Privilégios na guilhotina

Os privilégios dos procuradores municipais de Parauapebas e da Câmara de Vereadores chamaram a atenção do Tribunal de Contas dos Municípios do Pará (TCM-PA) e do Ministério Público, ambos já enviaram sinais de que as leis que instituíram o regime da categoria não será aceita nem na corte de contas e nem no MPPA.

Profissionais do serviço público

Além do aviso do TCM-PA e do MPPA, as demais categorias profissionais que integram o serviço público de Parauapebas não aceitam o tratamento privilegiados dispensado aos procuradores municipais.

Limites legais 

Como negociar com servidores da saúde, professores e demais servidores públicos, pedindo compreensão pela necessidade de controle da folha de pagamento, devido aos limites legais impostos, quando os procuradores da Câmara e Prefeitura tem carga horária de quatro horas e ainda recebem acima do teto constitucional, verdadeiros "marajás".

R$ 40 mil

Tem procurador municipal e da câmara de vereadores que chega a receber mais de R$ 40 mil/mês, imagine se um professor ganhasse 10% disso por 4 horas de trabalho, no caso, trabalho de verdade.

A folha vai estourar

A situação dos procuradores pressiona a folha de pagamento do município de Parauapebas tanto diretamente como indiretamente. Diretamente, pois o custo da procuradoria já ultrapassou o limite do razoável, e indiretamente, quando passa a servir de espelho reivindicatório das outras categorias do serviço público.

sábado, 3 de fevereiro de 2018

LARÁPIOS: Auxílio-moradia já "garfou" R$ 4.3 BILHÕES do erário, R$ 817 MILHÕES por ano, desde 2014

LUCIUS ANTONIUS RUFUS APPIUS, o famoso L.A.R. APPIUS, sentiria inveja dos seus colegas brasileiros

L.A.R APPIUS era uma espécie de magistrado romano, vendia sentenças a quem lhe pagasse mais, no Brasil, ele trocaria suas sentenças por prêmios da Globo e palestras para multinacionais, além dos penduricalhos, tipo o auxílio-moradia




Leia a matéria no Blog da Cidadania

R$ 817 MILHÕES em 2017, desde 2014 já são R$ 4.3 BILHÕES ao todo, valores "desviados" dos cofres públicos sob a forma de auxílio moradia para juízes, promotores e afins

Levantamento feito pelo Senado apontou que a União gastou R$ 817 milhões em 2017 com o pagamento de auxílio-moradia. No total, foram gastos R$ 4,3 bilhões com o benefício nos últimos oito anos.

O penduricalho a servidores públicos “importantes” foi garantido por liminar do ministro Luiz Fux, do Supremo, a juízes de todo o País em 2014. O pagamento foi estabelecido pela Lei Orgânica da Magistratura, de 1979.

Na quinta-feira, 1.º de fevereiro, suas excelências fizeram uma “manifestação” em defesa de seus privilégios (foto abaixo) após a denúncia de que o juiz federal da Lava Jato Marcelo Bretas recebe duas vezes a regalia porque ele e sua mulher, também juíza, apesar de terem imóveis próprios e residirem sob o mesmo teto recebem dois “auxílios-moradia”.