quinta-feira, 26 de março de 2015

Mais uma lambança descoberta - valia R$ 6 MILHÕES, VALMIR DA INTEGRAL pagou R$ 36,6 MILHÕES


Os donos declararam que valia R$ 6 MILHÕES, mas VALMIR DA INTEGRAL pagou R$ 36.640.000,00 (trinta seis milhões seiscentos e quarenta mil reais).

Caso o dinheiro fosse da Integral, que nunca teve nem perto disso, ele pagaria essa fortuna!

Conheça um pouco mais dessa história!

Primeiro foi pra beneficiar o grupo RIBEIRO, sem limites legais, agora mais um financiador da campanha do prefeito afastado VALMIR DA INTEGRAL poder ter levado uma grana do erário municipal.

quarta-feira, 25 de março de 2015

A Reuters e a imprensa "tutuzeira e adocicada"

Reuters pergunta a FHC se pode dizer a verdade ou se é melhor tirar! Já a imprensa tutuzeira e adocicada de Parauapebas, tem até associação, essa daqui nem pergunta o nome, já atira na verdade e nos fatos, de encomenda!


Em vermelho, a deferência a FHC publicada inadvertidamente


A Reuters também é tutuzeira

A imprensa tutuzeira e adocicada de Parauapebas não precisa sentir vergonha, pois até a REUTERS faz lambança e atua em nome de interesses escusos.

A imprensa tutuzeira e adocicada, aquela que torna as manhãs da cidade entre as serras uma sonora melodia açucarada, um "docinho só", como diria o GILMAR COROLLA, infelizmente na conta do erário municipal.

As vezes está no DNA e não tem jeito, se serve de consolo!

MISSA DE 7º DIA

Blog do Luiz Vieira 

 Convite


A família VIEIRA convida os amigos para a Missa de 7º dia de Maria Reis Vieira (Dona Cota). 

Local: Igreja de São Sebastião (Praça Mahatma Gandhi).

Data: 26 de março de 2015 (quinta-feira)

Horas: 19h30m.


 

 

Mulher Guerreira


          A vida a fez assim. Um misto de alegria, mistério e sobriedade. Forte e destemida, nunca mediu esforços para criar e educar oito filhos com toda a dedicação e amor. Apesar de pouco estudo, criada na roça, foi a primeira professora de todos os filhos e dos filhos de muitos parentes e vizinhos. Vigorosa trabalhadora, cheia de sonhos e ideais não deixou que as intempéries da vida abatesse sua família. Lutou a vida inteira com muita fé e esperança. Imprimiu sua personalidade e honradez em cada um dos herdeiros.

          Essa era Dona Cota,como gostava de ser chamada. Para os mais íntimos, Dona Cotinha; para outros apenas vozinha; para mim, apenas MAMÃE. Mamãe era a força bruta da natureza polida com a labuta do dia a dia e com a experiência da vida. Dedicada e com espírito solidário ultrapassava todas as barreiras para ajudar o próximo. Com natureza andarilha ia ao encontro de todos os amigos, parentes e conhecidos nos confins do mundo. Quem é que teve contato com ela e nunca recebeu uma visita? Impossível! Qual o sobrinho ou neto (biológico ou postiço) não se lembra das inúmeras vezes que a fez companhia em suas andanças? 

A confusão em Parauapebas - o medo que VALMIR DA INTEGRAL tem de perder a "teta"



Polícia Federal pede 30 dias pra concluir inquérito sobre GESMAR

 http://2.bp.blogspot.com/-epxhSI54ykg/VCXCVdjsYBI/AAAAAAAAFJg/mWeA1Fw0cuE/s1600/caminhonete%2Bgesmar%2B3%2Bvencendo%2Bdesafios.jpg


Ele comemora, se lambuzando todo, mas GESMAR ainda terá de aguardar as conclusões do inquérito da PF, no dia 24/03/2015, a juíza TÂNIA DA SILVA AMORIM FIÚZA autorizou a prorrogação por mais 30 dias dos procedimentos investigatórios.

Pelo andar da carruagem, o rapaz poderá ficar inelegível, no mínimo.

Veja a prorrogação:

terça-feira, 24 de março de 2015

Gilmar "COROLA" Moraes no "bate papo e no disse-me-disse"

O Gilmar "Corolla" de Moraes e o "outdoor" nas conversas dos botecos 



O povo de Parauapebas acha que está na cara mesmo!

Quanto ao outdoor, apenas uma pequena amostra de como os espaços e as coisas são públicas são achincalhadas em Parauapebas.


Um boteco no whatsap - o "bate-papo, o di$$e-me-di$$e"





É muito "tutuzeira e açucarada" essa "imprensa" de Parauapebas!

Imprensa, não! É só o modo de falar, essa gente associada é pior que os políticos.

São os "pistoleiros" da imprensa associada de Parauapebas, se derem (ou emprestarem) uma arma pra eles, os "jornalistas" matam a jovem Parauapebas, esquartejam, colocam num tambor e jogam no rio Itacaiúnas, duvidam?

Que vergonha!

Justiça bloqueia mais um contrato do município de Parauapebas



MAIS DE R$ 150 MILHÕES EM CONTRATOS SUSPENSOS

A decisão saiu ontem, o contrato bloqueado foi o de "consultoria de contabilidade".

Acredite, cidadão de Parauapebas, somando, apenas em AÇÃO POPULAR, já são mais de R$ 150 MILHÕES, isso apenas com as medida liminares, ao fim de tudo, se todas as ações forem julgadas procedentes, o valor ultrapassará os R$ 200 MILHÕES.

DESAPROPRIAÇÕES

As desapropriações todas, estão com o MP do Pará, também envolve algo em torno de R$ 100 MILHÕES.

Não adianta correr e espernear, a conta chegará! Agora, pelo que se vê, ela vem com as próprias pernas!

EMPREITEIRAS

Também não se "aveche", uma auditoria nas empreitadas do prefeito afastado é fato.

segunda-feira, 23 de março de 2015

Enquanto o ex-prefeito de BREU BRANCO/PA é preso, VALMIR DA INTEGRAL usa gabinete e recursos públicos pra isso!

A margem de tudo, o prefeito afastado de Parauapebas já não se importa nem com as aparências - escancarou a imoralidade administrativa!

video


Veja a trupe de desocupados, afinal, eles não deveriam estar trabalhando?

Eles só servem apenas pra fazer proselitismo político para uma figura que a margem da lei e da ordem ocupa ambiente público, só pode dá nisso!

Cadê o MINISTÉRIO PÚBLICO dessa cidade, não vê?

Que se guarde e memorize cada um desses "aspones", imprestáveis! 

VÃO TRABALHAR!

É óbvio que PARAUAPEBAS não paga essa gente pra fazer isso!


Veja, em BREU BRANCO/PA, por muito menos do que estamos acostumado a ver em Parauapebas, prefeito é preso!

Polícia cumpre mandado judicial e prende o ex-prefeito de Breu Branco Egon Kolling “Alemão”

Egon Kolling “Alemão”

WELLINGTON HUGLES
De Breu Branco
Foto: Wellington Hugles

Após uma exaustiva procura ao ex-prefeito de Breu Branco Egon Kolling, conhecido popularmente como “Alemão”, a Polícia Civil de Breu Branco cumpriu na manhã desta segunda-feira (23), o mandado judicial exaurido pelo juiz da Comarca de Breu Branco o magistrado José Jonas Lacerda de Sousa, que acatou a denúncia formulada pelo Ministério Público do Estado e decretou a prisão de Egon Kolling.
MARAPANIM: Ministério Público ajuíza Ação Civil Pública por ato de improbidade da prefeita




A ação foi fruto de quase oito meses de investigação. Grupo de pessoas, vereadores e a presidente da Câmara de Vereadores denunciaram ao Ministério Público irregularidades praticadas pela prefeita

O Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), representado pela promotora de Justiça Sintia Quintanilha Bibas Maradei, ajuizou no dia 5 de março desse ano Ação Civil Pública (ACP) por ato de improbidade administrativa da prefeita Elza Edilene Rebelo de Moraes do município de Marapanim, nordeste do Pará.

De acordo com a promotora Sintia Maradei, “verificou-se a existência de uma situação de má gestão pública e de ineficiência no comando da administração”.

Entre as denúncias recebidas pelo Ministério Público, destacam-se o atraso no pagamento dos funcionários, o não repasse à Câmara municipal dos duodécimos, a frustração de concurso público, pagamento a uma empreiteira por obras não realizadas, a falta de prestação de contas anuais e a não publicação dos atos oficiais.

Denúncias

No período de abril a dezembro de 2014 foram feitas representações na Promotoria de Justiça de Marapanim por um grupo de pessoas do município em face das condutas, em tese, ilegais por parte da gestora.

Ao passo que as representações foram feitas, a Promotoria de Marapanim encaminhava ofício à Prefeitura solicitando informações, tendo em vista a quantidade considerável das reclamações. No entanto, ao mesmo tempo em que a Prefeitura não apresentava soluções, houve recusa em firmar acordos com a Promotoria.

Improbidade

Diante do escasso posicionamento da prefeitura frente aos ofícios encaminhados pela Promotoria, foi realizada apurações por esta que concluiu a precária estrutura dos órgãos burocráticos ao constatar que pouco foi documentado pela prefeitura, a exemplo da não prestação de contas de 2014 no tempo previsto, o relatório resumido da execução orçamentária e a não divulgação do montante de cada um dos tributos arrecadados e os recursos recebidos.“Todos esses atos configuram a falta de uma administração transparente”, aponta a promotora Sintia Maradei.

Notas Fiscais

Uma das ações ímprobas, no que tange as despesas, foi a constatação de notas fiscais com validade vencida e o excessivo consumo de combustíveis sem a identificação de quais veículos foram abastecidos, juntamente com a aposição das assinaturas dos responsáveis.

Ressaltam-se também as despesas com profissionais liberais, ajudas financeiras e com transportes sem discriminação/identificação dos favorecidos. E a ausência de qualquer obra de recuperação ou serviços realizados nos Postos Médicos dos Sítios Alto da Madeira e Alto Travessão, ainda que as obras tenham sido licitadas e devidamente pagas.

Pedido

Diante das apurações, foi requerido que a prefeita Elza Rebelo de Moraes, além de ser citada para contestar a Ação, seja condenada a ressarcir os danos patrimoniais causados à Administração municipal e à perda de função pública com a suspensão de seus direitos políticos pelo período de cinco a oito anos.

Destaca-se também o pagamento de multa cível de até cem vezes o valor da remuneração recebida e à proibição de contratar com o Poder Público ou receber seus benefícios ou incentivos fiscais. 


Texto: Fernanda Palheta (graduanda em jornalismo) com informações da PJ de Marapanim
Revisão: Edson Gillet
Foto: DBCity
Assessoria de Imprensa
Fonte: www.mppa.mp.br

domingo, 22 de março de 2015

Parauapebas: "a máfia sucupirana"


A tentativa de VALMIR DA INTEGRAL de permanecer no poder inescrupulosamente, já provoca danos na economia local, prefeito afastado já pode ter sumido da cidade, tentando salvar a pele começa a prejudicar aliados políticos e empresários locais.

Cidade vive dias de apreensão, governo totalmente paralisado, apenas a "imprensa pistoleira" é que ainda lhe dá asa, nua espécie de "memória póstuma" do cancão de fogo.

É preciso ficar claro para empresários locais, qualquer contrato e ato praticado pelo prefeito afastado e seus auxiliares será passível de anulação, com devolução dos recursos envolvidos e prejuízos para quem compactuou com a "máfia sucupirana".