sexta-feira, 22 de maio de 2015

Cartórios de Parauapebas - quanto pagaram de ISS ao município?



"Nossos CARTÓRIOS" não divulgaram ainda quanto pagaram de ISS ao município de Parauapebas, será que eles não querem que a cidade saiba o quanto eles pagam ao governo VALMIR DA INTEGRAL?

Será que teria como o cidadão saber o quanto Parauapebas arrecada com ISS dos Cartórios?

E você, caro cidadão, acha que os cartórios pagaram quanto de ISS ao governo VALMIR DA INTEGRAL? E o Ministério Público, não teria essa curiosidade? Arrisquem uma das opções: 

a) R$ 300 mil;
b) R$ 3 milhões;
c) R$ 3 mil;
d) R$ 3.
e) Nenhuma das Alternativas Anteriores.

MARABÁ: Promotoria constata situação alarmante em escolas e postos de saúde de município

Veja no www.mppa.mp.br



A 6ª Promotoria de Justiça de Marabá, representada pela promotora Mayanna Silva de Souza Queiroz e sua equipe, realizou, no período de 11 a 15 de maio, inspeção em escolas e postos de saúde da zona rural de Marabá, sudeste do Pará. As inspeções foram motivadas após denúncias de que escolas estariam funcionando sob situação precária.

Durante esse período a equipe do Ministério Público percorreu mais de 500 quilômetros de estrada de chão, avaliando as condições dos prédios escolares e das merendas escolares.

A promotora de Justiça Mayanna Queiroz identificou situações alarmantes tais como condições insalubres para o ensino-aprendizagem, merenda escolar vencida, falta de produtos alimentícios no cardápio e a ausência de profissionais nos postos de saúde da zona rural.

Entre as escolas inspecionadas, destacam-se: Castro Alves na Vila São Pedro, escola Estrela da Manhã na Vila Forquilha, Caminho da Liberdade na Vila Seca e a escola União do Povo na Vila Macaco Careca.

A promotora de Justiça Mayanna Queiroz registra, “Agendei reuniões para os dias 27 e 29 de maio com os secretários de educação e saúde. O MP fará recomendações e, se não forem atendidas, entraremos com ações judiciais”.


Texto: Fernanda Palheta (graduanda em jornalismo) com informações da PJ de Marabá e o jornal Correio

Fotos: PJ de Marabá
Revisão: Edson Gillet

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Já batem no LULA com medo de 2018, perdem tempo agora e perderão as eleições em 2018

Parauapebas: caixa d'água na empresa INTEGRAL com as cores da SAAEP

A SAAEP é uma autarquia municipal de Parauapebas, criada para fornecer água e saneamento básico ao cidadãos de Parauapebas, mas não faz nenhuma coisa e nem outra, ultimamente tem fornecido apenas escândalos.

Veja a foto abaixo:


A foto é apenas para ilustrar (tem mais fotos). Ela, a foto, mostra uma caixa d'água "repousando" na carroceria de um caminhão, estacionado no pátio da empresa Integral.

A caixa d'água tem as cores iguais as utilizadas pela SAAEP, por mera coincidência.

Na empresa e no quintal do prefeito 

As instalações da empresa INTEGRAL, que tem no prefeito de Parauapebas o seu principal sócio, está localizada ao lado da chácara-residência dele (o prefeito). Para chegar a sua casa, ele (o prefeito) passa na frente da empresa, mas tudo isso ou nada disso é o suficiente pra mobilizar o membro do MPPA e muito menos o judiciário de Parauapebas. 


Caminhão com caixa d'água na Integral

A empresa INTEGRAL tem como principal atividade a  montagem de estrutura metálicas.

O Sr. VALMIR QUEIROZ MARIANO, vulgo VALMIR DA INTEGRAL, declarou ser proprietário de 70% das ações dessa empresa (AQUI no TSE).




Integral doou R$ 966.700,00 para a campanha eleitoral

A empresa de ENGENHARIA INTEGRAL LTDA. doou à campanha do candidato a prefeito de Parauapebas em 2012, ou seja, para o Sr. VALMIR DA INTEGRAL, a quantia de R$ 966.700,00.

Na Receita Federal está assim

Consultando o site da Receita Federal, constata-se que o prefeito de Parauapebas, VALMIR QUEIROZ MARIANO e o seu filho, ALESSANDRO QUEIROZ MARIANO, são os sócios-administradores da empresa, evidente, o prefeito deve ter sido afastado da administração da empresa, mas não atualizou a informação na Receita Federal, um lapso, veja:




quarta-feira, 20 de maio de 2015

PSDB pensa que o Brasil é dos coxinhas e dos "midiotas"

Pronto pra perder em 2018, 
PSDB e FHC atacam LULA! 


“PSDB, teu passado te condena!


Eis a melhor resposta ao jogo de mentiras e falsidades veiculado ontem à noite no programa de um partido que, quando governo, escondeu a própria corrupção debaixo do tapete.

O PSDB usa o programa para ocultar seus inúmeros malfeitos e ilicitudes. Não bastassem os escândalos do mensalão mineiro, do bilionário cartel do trensalão do governo de São Paulo, da denunciada propina de R$ 10 milhões para um ex-presidente do partido, os tucanos tentam desviar a atenção de sua mazela mais recente: a do governador que, acusado de receber propina, massacra os professores e aterroriza a população.

De memória curta e alentado prontuário, o candidato derrotado, cuja gestão em Minas Gerais devastou o Estado, invade o vídeo com indignação postiça e pureza inconvincente.

Pior que tudo é o ressurgimento daquele que, após deixar comprarem a sua reeleição, posa agora de campeão da moralidade. Triste papel a que foi relegado!

O PT não vai deixar que eles transformem a calúnia em verdade. Nem vai permitir que eles tentem nos cobrir com a lama de sua própria hipocrisia.

De imediato, estamos representando no TSE contra o programa. E vamos continuar combatendo a campanha suja, odiosa e reacionária dos tucanos e seus sequazes.

Rui Falcão
Presidente Nacional do PT”

6.559 "contratações de temporários" - R$ 516 MILHÕES - a farra do governo VALMIR DA INTEGRAL

Tribunal de Contas dos Municípios do Pará rejeita farra de "contratados" em Parauapebas - gasto em 2 anos ultrapassa os R$ 516 MILHÕES 

Valmir da Integral: 6.559 "contratados"

Quem são esses 6.559 "servidores" - a suspeita de NEPOTISMO e funcionários fantasmas espalha-se por todo os lados, uma verdadeira FARRA. 

Há indícios que essa farra se agravou em 2014, no período eleitoral, um advogado de Belém informou ao Blog que o TCM se antecipa a uma investigação do Ministério Público do Pará, em Belém, sobre o caso.


6.559 contratações temporárias


Para se ter uma idéia do tamanho do rombo que representa essas contratações, do estrago que esse tipo de prática provoca o orçamento de Parauapebas, em 2013 e 2014, o atual governo gastou mais de R$ 516 MILHÕES, uma despesa imoral. 

Mais contratados que a soma dos votos do ODILON, BRAZ, MARIDÉ e MAJO DA MACTRA


A votação dos vereadores ODILON, BRAZ, MARIDÉ e MAJO DA MACTRA alcançou apenas 6.196 votos, isso mesmo, os "contratados" da prefeitura de Parauapebas, do governo VALMIR DA INTEGRAL, ultrapassam a votação desses 4 (quatro) vereadores.

O TCM rejeitou, mas tem que publicar os nomes de todos os contratados

O TCM-PA já deveria ter publicado a íntegra dos processos, para que a cidade de Parauapebas e o povo do Pará conheça quem são os "contratados" do governo VALMIR DA INTEGRAL.

O MPPA e o Judiciário em Parauapebas

Convém perguntar: e o Ministério Público e o Judiciário na bilionária Parauapebas, que farão?

Veja os processos e a decisões do Tribunal de Contas dos Municípios do Pará-PA: 






A Câmara de Parauapebas também teve 75 contratações temporárias rejeitadas.

Servidores e comerciantes denunciam secretaria de planejamento e comissão de licitação de Parauapebas

Desrespeito aos servidores concursados

A Secretaria de Planejamento de Parauapebas, que coordena também a comissão de licitação, resolveu trazer uma equipe completa de licitação do Estado do Piauí, coisas que os funcionários da PMP viram ocorrer no passado com o secretário Célio Costa, com a promessa de que, se conduzissem bem o processo de contratação da merenda escolar de 2015 (Processo:Pregão Presencial 9/2014 031 SEMED), entregariam para esta equipe toda a gestão da licitação de Parauapebas, em total desrespeito aos empregados da PMP/Licitação que ali estão e trabalham. 

Perdidos e "erros"

Ocorre que a equipe especialista vinda do outro estado, têm se mostrado totalmente perdida, (...), por exemplo, todas as publicações efetuadas pela “nova” equipe, informa nos diários do estado do Pará e nos demais site de consulta, um número de processo que não identifica a licitação da merenda escolar, dificultando o acompanhamento do andamento do processo pelos canais oficiais.

Informações erradas

As informações são enviadas com numeração errada, outra situação muito pior, foi a publicação nos órgãos oficiais, mesmo com o número errado, no dia 06/05/2015 a ocorrência de uma reunião para o mesmo dia da publicação, ou seja, quem utilizou-se das informações oficiais ficou sem poder participar, mais uma vez contrariando a legislação onde o princípio da isonomia, publicidade, transparência e condições de igualdade são os pilares da lei de licitações. Lógico que os erros de numeração nas publicações podem ser corrigidos com erratas e novas publicações, mas que especialistas são estes que erram tanto?

Licitação da merenda escolar

A contração da merenda escolar de 2015 de Parauapebas é através da modalidade pregão (Processo: Pregão Presencial 9/2014 031 SEMED). 

A lei que criou o instrumento pregão buscou uma maior concorrência, possibilitando a administração pública comprar mais barato. A equipe que veio de fora da cidade, por incrível que pareça, desclassificou todas as empresas que apresentaram preços iniciais inferiores a 30% do valor (preço) de referência informado no edital pela prefeitura de Parauapebas, ou seja, em tempos de pouco dinheiro, quem tentou participar do processo, sendo mais competitivo e ofertando preços mais baratos foi “previamente” desclassificado pela equipe de especialistas do outro estado, exigindo a apresentação de planilhas e mais planilhas dos fornecedores locais, a fim de eliminarem ao máximo a concorrência.

Ministério Público foi informado

Como nem tudo na vida está perdido, o Ministério Público já teve conhecimento de tais procedimentos nocivos ao dinheiro de Parauapebas e está investigando a licitação em curso, tendo sido a mesma paralisada por um mandato de segurança, solicitado por um dos vários fornecedores de Parauapebas impedidos de participar da licitação.

Esquecido

Quando o Sr. Valmir da Integral ainda não era prefeito defendia nas reuniões da ACIP e CDL uma maior participação dos empresários locais nas compras da Vale e da Prefeitura de Parauapebas, (...) mas hoje, ele faz o contrário, dificulta tudo, nunca se viu tantos horrores e perseguição aos empresários nesta cidade como tem ocorrido agora.

No hospital municipal falta tudo

Pois os nossos doentes em nossos hospitais não têm sabão, papel higiênico e etc, e, conforme o Sol dos Carajás já noticiou, não faltou comida porque uns fornecedores, mesmo sem receberem da Prefeitura, não suspenderam o fornecimento de alimentos para o hospital.

Outra dúvida: será que as nossas crianças irão ficar sem merenda, também?

Prefeito da bilionária Parauapebas ataca maranhenses

Sem perguntas e sem respostas, partiram para achar um culpado pela incompetência e corrupção que assola o governo de Parauapebas - a culpa é dos MARANHENSES!


O passeio do jornalista Marcelo Marques, "o Bacana", à bilionária Parauapebas não deu outra, sobrou para o povo do Maranhão. 

O jornalista veio direito de Belém para a cozinha do prefeito de Parauapebas.

Uma "bacanagem" 

O encontro mas pareceu uma "bacanagem" com dinheiro público, com direito a uma delicada e "tripla cruzadinha de pernas".

O vexame

Foi um vexame, daqueles que só mesmo o erário da bilionária Parauapebas pode pagar (Veja no Blog do Luiz Vieira).

Até que o Bacana tentou ser jornalista, mas só tentou, a inaptidão do prefeito e do seu "assessor de assuntos gerais", inclusive junto ao judiciário e cartórios de Parauapebas, o Zé Dudu, não deu outra e nem podia, arranjaram um culpado pela corrupção que assola o governo de Parauapebas.

Sobrou para os maranhenses

Acredite, incrédulo leitor, a culpa é do povo do Maranhão.

Os destrambelhados partiram para agredir os maranhenses, em tom de chacota, o prefeito falou que iria "doar" R$ 200 e uma passagem para eles voltarem para o Maranhão.

Marcel Nogueira 

MARCEL aceitará R$ 200 e uma passagem
pra voltar ao Maranhão?

Alguns insinuam que a diretíssima foi uma indireta para o chefe da ASCOM da prefeitura de Parauapebas, o jornalista MARCEL NOGUEIRA, maranhense de coração e nascimento.

Será que o MARCEL NOGUEIRA aceitará os R$ 200 e a passagem de volta pra sua bela Carolina?

Uma pena

O jornalista Bacana podia ter ficado sem essa no seu currículo, falta de aviso não foi!

Ele deveria disponibilizar a íntegra o vídeo da entrevista, enviar ao governador e a Assembléia Estadual do estado do Maranhão.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

FHC Quebra-Barraco


Petrobras sobreviveu a FHC, sobreviverá à "república do paraná".

SINTEPP - Greve é direito, não a criminalização de nosso movimento

agenda_greveProfessores fazem protesto em frente à Sead (Foto: Divulgação/Sintepp)
Banner_direito_degrevebanner_2015_assemblei_geral



Por Alberto Andrade*

“Três coisas devem ser feitas por um juiz: ouvir atentamente, considerar sobriamente e decidir imparcialmente”. (Sócrates)

A reação indignada da AMEPA à queima da ação de reintegração de posse, com sua clara posição de criminalizar educadores deste estado, mostra a inclinação tendenciosa e antidemocrática do judiciário paraense.

Se não, vejamos:

1) Em 2013 o Governo do Estado assinou um acordo no TJE, se comprometendo com várias pautas que até hoje não foram cumpridas. O PCCR unificado, que deveria ter dado entrada na Assembleia Legislativa em março do ano passado, as Reformas das Escolas, que até hoje não aconteceram, são apenas dois exemplos de profundo desrespeito ao judiciário paraense. Aliás, no caso das escolas é aviltante a situação por que passam as unidades. As poucas reformas que iniciaram não foram concluídas e os recursos destinados se perderam pelo caminho.

2) O Governo do Estado também não cumpre a Lei do Piso, e acumula a dívida de mais um retroativo. Além disso, não cumpre também a própria lei 8030/14 por ele enviada para a ALEPA ano passado.

3) Mesmo sem decisão judicial, o Governo também resolveu descontar salários por conta própria, penalizando milhares de trabalhadores em pleno exercício de seu direito à greve.

Por essas e outras, podemos afirmar que o governo Jatene é ilegal! O Governo, reiteradas vezes desrespeita o judiciário. Porém, a justiça paraense não consegue enxergar tantos desmandos e desrespeito com a coisa pública.

A greve em si só está acontecendo por que Jatene/Helenilson decidiram atacar o salário dos educadores, reduzindo ilegalmente as Aulas Suplementares e não cumprindo acordos anteriormente feitos.

Para piorar, o secretário falou par quem quisesse ouvir que a carga horária excedente seria dada a temporários, em mais um achaque aos princípios constitucionais.

Houve excessos por parte do sindicato ao destruir a ação? Pode até ser. Uma atitude intempestiva e emotiva, que simbolizou o repúdio ao governo e um profundo descontentamento com o Poder Judiciário.

Em nenhum momento houve a tentativa de desmoralização deste Poder, como a propósito há na insistente afirmação da AMEPA , que além de um julgamento antecipado, ferindo, portanto, o mesmo Estado Democrático de Direitos tão reivindicado na prédica magistral, adentra num pantanoso terreno passional, afrontando assim regras básicas de um julgamento.

Assim sendo, e para não ficarmos neste debate estéril, faço aqui um desafio à esta douta Associação: visite pelo menos uma escola pública no pós greve. Talvez o distanciamento (por vezes necessário) da realidade não permita aos nobres magistrados a apreensão do sentimento e da necessidade daqueles que, mesmo sem as mínimas condições, se esmeram em construir no chão destas precárias escolas nosso Estado Democrático de Direitos. Que não deve ser apenas para alguns, mas para todos os filhos desta nação!

Por fim, esperamos que o sentimento de justiça prevaleça no julgamento do TJE na próxima terça acerca dos descontos dos dias parados. De justiça e não de vingança!

“Não te poderás considerar um verdadeiro intelectual se não puseres a tua vida ao serviço da justiça; e sobretudo se te não guardares cuidadosamente do erro em que cai no vulgo: o de a confundir com a vingança”. (Agostinho Silva)

*Alberto Andrade é Secretário Geral do Sintepp, formado pela Universidade Estadual do Pará (UEPA) e professor de Ed. Física na rede estadual de ensino.